17 Abr 2012, 18:11

Texto de Alexandra D. Marques

Comes & Bebes

Vai uma caipirinha de cerveja? Rume ao novo W

,

Primeiro foram os restaurantes, agora é o bar. Chama-se W, de Wilson, que se inspirou nas viagens a Tóquio e Nova Iorque para criar o novo bar da Cândido dos Reis.

W

Fotografia: Alexandra D. Marques

Tóquio e Nova Iorque: são estas as influências que dão forma ao novo bar da Rua Cândido dos Reis na baixa do Porto. José Wilson, o proprietário, inspirou-se nas suas viagens para expandir o conceito W de restaurante (na Rua Conde de Vizela) para bar (uma rua acima).

A música passa pelo chillout, R&B, pop e funk e a especialidade da casa são as sangrias de tinto ou branco.

Os cocktails também são um ponto forte, em especial a caipirinha de cerveja. Os produtos nacionais, como os vinhos, assumem um lugar de destaque.

De segurança a empresário

Wilson, como é conhecido, começou por ser segurança nalgumas das maiores discotecas do Porto (como a Terminal X, a Indústria e a Metro) e, depois de abrir e vender o seu primeiro projecto (Black Coffee), decidiu apostar na marca W e abrir os restaurante W do Wilson e W da Ribeira – entretanto deixou de estar ligado a este.

O empresário faz questão de decorar os seus espaços, mas admite que tem medo das decorações que faz. “Faço as coisas de uma maneira elitista e as pessoas às vezes têm medo de entrar no meu espaço. Passam à porta, espreitam e ficam com receio porque pensam que é um espaço caro, quando na verdade é um espaço como os outros, com coisas normais”, afirma.

Do Oriente ao Ocidente

A decoração transmite a fusão entre o Oriente e o Ocidente. Por um lado, os tons pastel, as flores e as velas dão uma sensação de calma; por outro, está patente o glamour, a agitação do jazz e dos blues, com imagens de filmes clássicos americanos.

O bar não tem pista de dança, mas toda a gente pode “dançar com o pé maroto”. Existem 2 pisos decorados com grandes espelhos, candeeiros e sofás e o horário de funcionamento é de segunda a sábado, das 15h às 2h.

José Wilson compreende as novas medidas para controlar a movida e aponta as garrafas na rua como o primeiro problema a ter de ser resolvido. “Se tudo funcionasse dentro dos espaços não havia esse problema”, acrescenta.

  1. alice mota says:

    José Wilson,para mim o zé,grande empreendedor,trabalhador honesto e humilde! desde menino,muito educado.muito inteligente.
    digno de Sorte e Sucesso!
    há 40 anos moramos na mesma rua!