11 Out 2011, 11:41

Texto de Ana Isabel Pereira

Praça

Viagem a Trás-os-Montes com o Teatro do Bolhão

,

“Terra Quente” estreia, esta quinta-feira, no auditório da Academia Contemporânea do Espectáculo. O espectáculo coreográfico a partir da obra de Graça Morais fica em cena até dia 23.

"Terra Quente"

Foto: DR

A ACE – Teatro do Bolhão estreia, esta quinta-feira, “Terra Quente”, um espectáculo coreográfico a partir da obra de Graça Morais e dirigido por Joana Providência.

“Nesta peça, procurámos sobretudo trabalhar as séries da obra de Graça Morais ligadas à Terra Quente e à Terra Fria, ao universo telúrico onde as gentes de Trás-os-Montes são abordadas através dos rostos, dos gestos, das cenas de trabalho, das metamorfoses e através, também, de toda uma narrativa de sacralidade e morte”, explicou à Praça Joana Providência.

O espectáculo, uma co-produção do teatro do Porto com o Teatro Municipal de Bragança, que conjuga representação e dança em palco, não segue propriamente um texto. Refere-se, antes, a “5 pequenas frases de Miguel Torga”.

Actores e bailarinos reconstroem em palco “rituais ligados aos ciclos da terra, a uma vida ligada ao trabalho da terra, a dureza das segadas, as festividades religiosas, a solenidade e a bruteza da matança do porco que acontecem numa paisagem agreste e bravia”.

Para criar “Terra Quente”, o grupo esteve com Graça Morais e ouviu a pintora falar dos seus quadros, da sua pintura, das suas motivações. “Sem dúvida foi uma enorme ajuda para nos aproximar-mos do seu trabalho”, sublinha Joana Providência.

“Terra Quente” fica em cena até 23 de Outubro. É para ver na ACE de quinta-feira a sábado, às 21h30, e domingos, às 16h. Os bilhetes custam 10 euros (e menos, com os descontos habituais). Se perder esta oportunidade, saiba que a peça vai estar no Teatro de Vila Real, dia 28, no Theatro Circo de Braga e no Teatro Municipal de Vila do Conde, no primeiro semestre de 2012 (em datas a definir).