14 Mar 2011, 18:07

Texto de David Pinheiro Silva

Coisas

Um condensado de cultura popular portuguesa

, ,

A No Feminino Com nasceu do trabalho de Helena Cardoso nas serras do Norte de Portugal. Um bocadinho desse mundo veio parar à Praça Carlos Alberto.

No Feminino Com

A mítica aletria - um dos muitos mimos do espaço. Fotos: David Pinheiro Silva

É café, é restaurante e é mais do que isso: o espaço No Feminino Com é um trabalho de preservação da cultura popular, que desde há quatro meses tem as portas abertas no número 89 da Praça Carlos Alberto, no Porto.

A calçada portuguesa prolonga-se da praça até ao interior do espaço, que, num lado, homenageia as mulheres históricas do Norte (Guilhermina Suggia, Aurélia de Sousa, Carolina Michaelis, Rosa Ramalho e Sophia de Mello Breyner são algumas das figuras imortalizadas na parede) e, no outro, tem as aldeias do Norte nas vitrinas, com trabalhos de barro, tecelagem e bordados provenientes das aldeias da Nogueirinha, Arões e Barcelos, entre outras.

“Roupa contemporânea” feita à mão e figurado tradicional português são alguns dos produtos à venda. Helena Cardoso, uma das sócias do projecto, explica que o conceito nasceu do seu trabalho. “Há muitos anos que faço levantamento têxtil rural nas serras do Norte. Estive sempre acompanhada de mulheres camponesas e dei-me conta que a minha vida foi trabalhar sempre com mulheres”, conta. Daí o nome “No Feminino Com”.

No espaço, destaca-se também a livraria especializada em literatura infantil, poesia, teatro e fotografia, e a cafetaria, onde se podem degustar iguarias portuguesas como leite creme queimado, aletria e bolo da avó. O espaço também funciona como bar e restaurante.