Image de Torcato inspitado no início do século XX e ilusão de óptica de Buchinho no arranque do Portugal Fashion

Júlio Torcato e Anabela Baldaque foram 2 dos estilistas que passaram pela Alfândega esta quinta-feira. Fotos: Miguel Oliveira

Imagem de Torcato inspitado no início do século XX e ilusão de óptica de Buchinho no arranque do Portugal Fashion
Imagem de Torcato inspitado no início do século XX e ilusão de óptica de Buchinho no arranque do Portugal Fashion

28 Mar 2014, 10:47

Texto de Diana M. Ferreira

Corpo

Torcato inspitado no início do século XX e ilusão de óptica de Buchinho no arranque do Portugal Fashion

,

O 34.º Portugal Fashion chegou esta quinta-feira à Alfândega do Porto, depois de ter arrancado em Lisboa no dia anterior. Dedicada ao tema “Organic”, esta edição conta com 28 desfiles de 22 criadores e 17 marcas. A primeira noite do evento no Porto ficou marcada pela colecção masculina de Júlio Torcato, inspirada num jovem oficial, e os coordenados femininos de Luís Buchinho, onde a ilusão de óptica imperou.

As criações de Júlio Torcato foram as primeiras a subir à passerelle, às 21h. A colecção masculina que o estilista levou à Alfândega sugere linhas sóbrias, pontuadas com detalhes românticos reminiscentes de uma época “do início do século passado”.

Torcado explicou à Praça que as suas peças contam a “estória de um oficial: um oficial retro, do início do século passado” e percorrem o período entre “o glamour das festas que os oficiais faziam” e a posterior “decadência” – “termina tudo em preto” –. As suas criações para o próximo Outono/Inverno exibem tecidos “amarrotados, lavados, tingidos, embora seja sempre tudo feito com bons materiais”, garante o designer, que tem exposições agendadas para Tóquio e Los Angeles e espera vir a fazer desfiles em Moçambique e Angola.

Com inspiração no universo do pintor e fotógrafo Georges Rousse, Luís Buchinho mostrou as suas criações poucos minutos antes das 22h e no piso inferior do edifício da Alfândega. O estilista portuense apresentou uma colecção rica em “ilusões de óptica, alusivas ao tema principal da colecção”, onde botas passam por calças e as malhas caneladas e os plissados jogam entre si. Sobre uma colecção onde reinam o branco e o preto, pontuados com o contraste de rosas vivos e sobreposições de rosas mais secos, o designer recordou, em conversa com a Praça, que “a [sua] intenção é sempre uma mulher muito chamativa que, quando chega, é notada”.

“O conforto está sempre inerente a tudo”, garante Buchinho. Com a marca a vingar nos mercados asiáticos e americanos, “continuar a trabalhar a parte comercial, fazer a próxima colecção” são os projectos imediatos do estilista.

Pelas 22h40, a passerelle recebeu o duplo desfile dos jovens criadores Daniela Barros e Hugo Costa, que na edição anterior do Portugal Fashion marcaram presença na plataforma Bloom, passando este ano para a passerelle principal.

A colecção de Daniela Barros, “Dalka”, apresenta uma estética rígida e austera, que evoca motivos geométricos para iluminar as peças onde predominam o preto e o cobalto.

Para a colecçã0 “Bushido”, Hugo Costa, debruçou-se “na cultura samurai e no código de honra e de conduta que eles tinham”. Às peças que surgem deste tema algo abstracto, o criador procurou trazer “movimento” e “flexibilidade”, tentando ainda trabalhar numa “escala de pretos e não propriamente uma escala de cinzentos”. “Fazer crescer a linha de acessórios, fazer crescer a linha de produtos, aumentar a qualidade dos produtos” são alguns dos objectivos do estilista para a marca.

Às 23h45, a encerrar a primeira noite do Portugal Fashion no Porto, foi possível ver as peças de Anabela Baldaque. Inspirada numa atitude “4 horas antes”, a colecção da criadora procura evidenciar “uma atitude feminina, uma mulher guerreira”.

Fazenda, angora, lãs, “muitos bordados à mão” e “pêlos sintéticos” são alguns materiais presentes nesta colecção, que exibe conjugações complexas de texturas e padrões. Não obstante, a estilista recorda que “a roupa nunca pode ser mais importante do que a pessoa” e que a base das suas peças “é sempre simples”, para “libertar a personalidade de cada pessoa que a veste”.

Esta sexta-feira, o Portugal Fashion recebe os desfiles de Susana Bettencourt e Estelita Mendonça, Katty Xiomara, TM Collection by Teresa Martins e Fátima Lopes, enquanto a plataforma Bloom dá palco às peças de Carla Pontes, Mafalda Fonseca e Carlos Couto.