Image de Serralves aberto ‘Fora d’ Horas’ uma vez por mês

Fotos: Arq/Miguel Oliveira

Imagem de Serralves aberto ‘Fora d’ Horas’ uma vez por mês
Imagem de Serralves aberto ‘Fora d’ Horas’ uma vez por mês

17 Mar 2014, 17:08

Texto de Ana Isabel Pereira

Praça

Serralves aberto ‘Fora d’ Horas’ uma vez por mês

O Serralves Fora d’ Horas, que se estreia na sexta-feira, vai acontecer uma vez por mês. O novo programa da Fundação, “um convite para visitar Serralves num horário mais alargado”, abre as portas do museu e da livraria até às 23h.

A Fundação de Serralves gere o Museu de Arte Contemporânea, que estabelece um diálogo directo com a Casa de Serralves e os jardins envolventes, e o Parque. Tem um serviço educativo muito activa e, entre outros eventos, organiza todos os anos pela Primavera o Serralves em Festa. O edifício do museu é da autoria do arquitecto Álvaro Siza e foi inaugurado em 1999. Serralves tem ainda uma biblioteca, uma livraria, uma loja, um restaurante, um bar de apoio ao auditório e a Casa de Chá.

Morada

Rua D. João de Castro, 210, 4150-417 Porto Portugal

Horário

Entre Outubro e Março, o museu está aberto de terça a sexta, das 10h às 17h, e aos sábádos, domingos e feriados, das 10h às 19h; o parque abre de terça a domingo, das 10h às 19h.

Contactos

226 156 500

No dia que marca o início oficial da Primavera, o Museu de Arte Contemporânea fechará apenas às 23h, mas há mais. O primeiro Serralves Fora d’Horas vai contar com o lançamento de uma publicação e uma performance sonora.

Segundo uma resposta escrita enviada à Praça, “a partir das 19h e até às 23h a entrada em Serralves é gratuita”.

Já em comunicado, a Fundação refere que “este primeiro momento será marcado pela apresentação do segundo número da revista Mono intitulado ‘Cochlear Poetics: Writings on Music and Sound Arts’, às 19h, na Livraria de Serralves”.

A Mono é uma publicação não periódica do Núcleo de Arte e Intermedia (NAI) do Instituto de Investigação em Arte, Design e Sociedade (i2ADS), recentemente criado no âmbito da Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto (FBAUP).

“O primeiro número da Mono foi publicado há mais de 6 anos, em Junho de 2007”, mas, “por várias razões, o projecto esteve parado desde então”, refere, na mesma nota de imprensa, Serralves.

Agora, foi dada continuidade ao projecto e a nova equipa, que mantém “a ideia inicial de fazer uma publicação capaz de cruzar a teoria e a prática da arte e do design“, apresenta o resultado do seu trabalho – “este segundo número recupera a ideia inicial de um volume dedicado à música e às artes do som” – em Serralves.

Depois dessa apresentação, pelo artista plástico Miguel Leal, Pedro Tudela e Miguel Carvalhais vão realizar “uma performance sonora a partir das partituras gráficas de Pedro Tudela criadas para a revista Mono#2”.

O Serralves Fora d’Horas pode ser ainda o pretexto para quem não visitou a colectiva “12 Contemporâneos: Estados Presentes” – às 21h30, há uma visita orientada pela arquitecta Matilde Seabra – e a retrospectiva de Mira Schendel ver finalmente estas 2 exposições. Na biblioteca do museu, vale a pena espreitar também a exposição “Blue Lines, Red Threads.”

Se rumar a Serralves sem jantar, não se preocupe. Entre as 19h e as 21h30, poderá jantar ou fazer uma refeição ligeira no bar do auditório.

Segundo explicou fonte oficial de Serralves à Praça, “ainda não há data para a edição seguinte” e “não é obrigatório” que o Serralves Fora d’Horas tenha sempre um evento associado. “O museu pode estar simplesmente aberto à noite”, explica a mesma fonte. E à borla. É de aproveitar.