24 Set 2012, 17:09

Texto de Patrícia Brandão

Coisas

Criações originais, com cores quentes e corte vintage

,

A marca Self Made, à venda na Cru, na Rua do Rosário, não tem 2 peças iguais. Para quem gosta de roupa original e única e não quer gastar muito no guarda-roupa.

Self Made

Em 2010, numa viagem pela América do Sul, Carina Silva conheceu vários artesãos que “faziam dinheiro usando a criatividade”. A experiência expandiu-lhe os horizontes e, quando regressou a Portugal, decidiu juntar o útil ao agradável e criar uma marca sua e o próprio negócio.

A colecção da Self Made, que está disponível desde 2011 na loja Conceito X, em Braga, chega agora ao Porto, encontrando-se desde sábado no espaço Cru, na Rua do Rosário. Os preços das criações são convidativos. Um vestido pode custar entre 25 a 45 euros e uma mala nunca ultrapassa os 20 euros.

A portuense, de 26 anos, aliou a experiência da sua mãe, reformada do mundo da costura, e o seu próprio talento para o desenho ao negócio do comércio de tecidos dos pais do namorado e criou uma marca de roupa.

Trouxe da Bolívia e do Brasil a influência das cores quentes e dos padrões rurais e cruzou-os com a sobriedade europeia e um corte vintage. Padrões fortes, cortes arrojados, cores alegres ou estampados simples. Tudo isto se pode encontrar nas criações de Carina. Vestidos, malas – cujas pegas de madeira são feitas pelo pai –, casacos e calções, que dificilmente poderão ser catalogados. “Tentamos fugir a estilos marcados”, justifica a criadora. ” O nosso ponto forte é a diversidade”.

As peças da Self Made, assume Carina, “tanto dão para miúdas de 15 anos que querem um vestido para usar na escola, como uma senhora de 50 que goste de coisas mais arrojadas”. A ideia é chegar a toda a gente e os homens também podem encontrar casacos e calções nesta colecção. Tudo a preços acessíveis e com uma mais-valia: são todas peças únicas.

O que também significa que, se quiser ter um vestido ou outra peça personalizada, pode pedir e a Self Made faz. Carina e a mãe já fizeram 2 vestidos para um casamento, a pedido de 2 convidadas da cerimónia que queriam usar a peça também no dia-a-dia, num look mais casual. “Fizemos um corte simples que pudesse depois ser conjugado com umas sandálias rasas e uma mala mais artesanal”. Carina garante que essas 2 peças únicas feitas à medida ficaram a um preço muito mais baixo do que outros vestidos “de loja”.

Inspiração

A inspiração da colecção são os tecidos que Carina e a mãe encontram no armazém dos pais de Simão, namorado da criadora e também empresário da marca. “Temos tecidos retro, dos anos 70 ou 80 e temos mais recentes. Com base nos tecidos que vamos encontrando, estipulamos o que fazer dali. A qualidade do tecido irá influenciar o preço da peça final”, explica Carina, que vê este seu projecto a crescer e a fidelizar cada vez mais clientes.

As criações da marca também podem ser encomendadas através na página de Facebook da Self Made ou adquiridas no portal de artesanato urbano Artemix.