Image de Provar (e apreciar) vinho do Porto sem ver

Foto: Ana Soares

5 Jan 2014, 14:43

Texto de Rafael Ferreira

Comes & Bebes

Provar (e apreciar) vinho do Porto sem ver

O Espaço Porto Cruz acaba de lançar as ”Provas às escuras”, para invisuais mas também para todos os visitantes que queiram fazer a experiência de provar vinho do Porto ”de olhos vendados”.

Paladar e olfacto bem apurados vão ser necessários para cumprir com sucesso o desafio que a Porto Cruz lança aos seus visitantes. No seu espaço multimédia no Largo Miguel Bombarda, no Cais de Gaia, a conhecida casa de vinho do Porto tem agora “Provas às escuras”.

A ideia surgiu pela mão da Walterlily, uma empresa que actua na área de animação turística no Grande Porto e que, apesar de querer fazer chegar a todas as pessoas as suas atracções turísticas, assume uma especial atenção para as pessoas que sofrem de limitações – permanentes ou temporárias – e os seus familiares.

Em parceria com o Espaço Porto Cruz lançou, este sábado, as “Provas às Escuras”. A iniciativa, explicou fonte oficial do centro multimédia à Praça, ganha forma na sequência de um trabalho que a Porto Cruz tem vindo a fazer, de  responder “às necessidades dos seus visitantes, explorando e criando várias opções em torno das provas de vinho do Porto”.

O objectivo, refere a mesma fonte, é “abranger as diversidades e características que definem os seus visitantes”.

A Porto Cruz “desenvolveu inicialmente a história do vinho do Porto e o momento de prova para as crianças, com sumos”. Agora, “desafia todos os visitantes, com redução ou ausência de visão, assim como todos os visitantes que queiram experienciar este momento de olhos vendados”.

As “provas às escuras”, experiência que custa 10 euros por pessoa, acontecem em 3 partes e têm como objectivo fazer com que os participantes, invisuais ou com visão reduzida, tentem adivinhar que vinho do Porto que estão provar.

Para isso, “na sala de provas, foi criado um momento de provas de vinho do Porto, onde é apresentada e contextualizada a região do Douro de um modo táctil, assim como, foi criada uma codificação dos 4 vinhos que são dados a provar, para que os visitantes possam posteriormente identificá-los na Boutique Cruz”, explica, em comunicado, a Porto Cruz.

Quem não tiver problemas de visão, também pode participar, mas é sempre convidado a colocar uma venda nos olhos.

Para além deste ‘jogo’, há agora visitas guiadas ao Espaço Porto Cruz, onde são explorados os restantes sentidos humanos. As 2 actividades (prova e visita) duram cerca de 2 horas e a experiência fica completa com uma homenagem a Louis Braille, criador de o sistema de leitura para cegos.

A inscrição inclui “a visita guiada mais a prova comentada de 4 vinhos do Porto, sempre com marcação”, referiu a Porto Cruz à Praça.

  1. «José Carlos Ferraz Alves» no Facebook >> Remeto para o meu blog e página do Facebook «letsdoporto» em que vou apresentando exemplos do que foi e pode ser feito. E remeto para um grande urbanista Jaime Lerner e Curitiba.