4 Jun 2012, 10:59

Texto de Ana Isabel Pereira

Praça

Preguiçar numa aldeia histórica no Sul de França

,

Paisagem, aldeias históricas, gastronomia e vinhos. Aveyron, no Sul de França, tem isto tudo. Rodez, a capital, fica a uma hora e 40 minutos de avião do Porto.

A Catedral Notre-Dame, em Rodez. Fotos: AIP

Quando nos perguntaram de que tínhamos gostado mais, fiquei indecisa. Não me consigo decidir se da paisagem de Aveyron ou do património e das aldeias históricas neste departamento do Sul de França.

Em 4 dias calcorreamos as ruas de Rodez, uma cidade com 53 mil habitantes e que mantém testemunhos da época medieval e da Renascença, subimos a Aubrac, provámos os vinhos de Marcillac, comemos aligot sem dizer chega, passeámos de barco sob o Viaduto de Millau e conhecemos os artesãos que fazem as famosas facas de Laguiole.

Aterrámos em Rodez e o primeiro contacto com o destino foi cultural e privilegiado. Visitámos o Museu Fenaille, o museu de arqueologia e história de Rouergue, de dimensão nacional, que reúne vestígios desde 300.000 a.C. até ao século XVII e alberga uma uma colecção única de menires. O director do museu, Aurélien Pierre, explicou-nos que o conjunto de 19 esculturas, “as representações mais antigas do homem na Europa Ocidental”, faz do Fenaille “um dos museus mais importantes da Europa e do mundo para este tipo de colecção”. A entrada custa 3 euros.

Novo museu em 2013

Tivemos o privilégio de visitar a obra do Museu Soulages, que está a ser construído em honra do artista abstrato Pierre Soulages e cuja inauguração está prevista para o Verão de 2013.

Aveyron Abadia de Conques

Os pormenores da Abadia de Conques são riquíssimos.

Desenhado pelos arquitectos catalães Rafael Aranda, Carme Pigem e Ramon Vilalta, o edifício, situado num jardim e em aço oxidado, albergará um restaurante “económico” da responsabilidade de Michel Bras, chefe detentor 3 estrelas Michelin. O curador do futuro museu, Benoît Decron, disse-nos que são esperados “100 a 150 mil visitantes por ano”.

Em Rodez, onde vivem cerca de 3.000 portugueses, vale a pena visitar também a Catedral Notre-Dame, um monumento que remonta ao século XII, cuja recuperação foi considerada pelo Estado francês prioritária. A entrada principal, ao contrário do que é normal, faz-se pela lateral da igreja, porque a fachada principal fazia parte de uma muralha defensiva. Em Julho e Agosto, é possível subir à torre da catedral (6 euros), que foi edificada em apenas 3 anos, no século XVI.

As mais belas aldeias de França

O país tem 250 aldeias classificadas como “as mais belas” e 10 estão em Aveyron. Conques – onde me entregaria ao ócio, se pudesse – tem apenas 90 habitantes mas recebe 500 mil visitantes por ano. Vinte mil são peregrinos, que fazem o Caminho de Santiago de Compostela e passam pela aldeia entre Abril e Outubro. Esta aldeia florida, situada a 250 metros de altitude e cuja fundação remonta ao século IX, deixa qualquer um pasmado e com vontade de se mudar para o Sul de França. E não é só pelo peso da história.