Image de Pratos com raça

Fotos: Cláudia Silva

Imagem de Pratos com raça
Imagem de Pratos com raça

20 Jan 2014, 22:57

Texto de Maria Martinho

Comes & Bebes

Pratos com raça

,

Chama-se Pão que Ladra e abriu este mês pelas mãos de uma lisboeta e de uma canadiense.

Reúne “os melhores produtos” do Porto e aposta nos cachorros quentes e nos hambúrgueres. Assume-se como uma garrafeira com finger food.

Morada

Rua das Taipas, 8, 4050-598 Porto

Horário

Segundas, quartas e quintas das 12h às 22h, sextas e sábados das 12h às 2h e domingos das 14h às 20h.

Gerência
Dina Carvalho e Andreia Calixto

Contactos

912 799 627/ 222 085 041/ 912 095 528

O novo negócio, no número 8 da Rua das Taipas, onde antes funcionava a garrafeira A Vindimeira, reúne “os melhores produtos” do Porto.

Andreia Calixto, 36 anos, e Dina Carvalho, 39 anos, são amigas de longa data e adoptaram a Invicta há mais de 2 décadas. Rejeitam que o projecto que agora as une seja um restaurante e preferem chamar-lhe “uma garrafeira com finger food“.

Por aqui, não há congelados nem congeladores, “apenas um frigorífico mínimo para guardar o gelo”, explicaram à Praça. Tudo é feito na hora e os fornecedores têm pronúncia do Norte.

O cachorro foi o principal ponto de partida para o negócio, cuja carta é “permanentemente actualizada” e tem sempre como ingrediente base o pão. Os cães são um gosto comum das 2 sócias e, por isso, cada prato tem o nome de uma raça canina. Os preços variam entre os 4 e os 8 euros.

O cachorro rústico chama-se “Teckel”, é feito com pão de baguete torrado, salsicha e linguiça fresca e servido aos pedacinhos. O “Boxer” é o prego e o “Vira Lata” é uma sanduíche inspirada em São Paulo, no Brasil, que leva mortadela grelhada com bacon e queijo Cheddar em pão tostado.

Há 3 tipos de hambúrgueres gourmet – “Chiwawa”, “Yorkie” e “Bulldog” –, um vegetariano – “Poodle” – e, em breve, estará disponível também um hambúrguer de bacalhau.

Para os mais gulosos, as canilhas “têm feito furor”. São rolos de bolacha estaladiça recheados com creme inglês e polvilhados com canela e açúcar em pó.

Para beber, há vinhos da Real Companhia Velha, limonadas, groselhas, cervejas, vodcas e gins.

Durante a semana, quem apresentar cartão de estudante paga 5 euros por um menu que inclui prato (diferente todos os dias), bebida e batatas fritas às rodelas, servidas numa tigela que imita a taça de comida dos canídeos. Ao fim-de-semana, organizam-se jantares de grupo até 30 pessoas, mediante marcação.

Confortável e original

O objectivo das 2 amigas era criar um local “que desse para toda a gente”, do turista ao estudante, um espaço confortável e acolhedor, mas sem ser “pretensioso de mais”. “Andei um ano a pé à procura do sítio ideal”, explica Andreia Calixto, uma apaixonada pela cozinha e ‘devoradora’ de livros e programas de culinária.

Finalmente encontravam o que procuravam, arregaçaram as mangas e pintaram paredes, restauraram móveis antigos e trataram dos detalhes, como os individuais que imitam renda ou a iluminação original e de baixo consumo. Mantiveram uma parede em pedra tradicional e o logótipo ficou a cargo do ilustrador Mário Belém.

O Pão que Ladra abre à segunda, quarta e quinta das 12h às 22h, à sexta e sábado das 12h às 2h e ao domingo das 14h às 20h.