26 Set 2012, 13:29

Texto de Redação, com Lusa

Praça

Piratas à solta em Leça da Palmeira no fim-de-semana

,

A animação arranca esta sexta-feira, pelas 15h30, com uma caça ao tesouro, seguindo-se um baile de máscaras e um espectáculo de malabares de fogo e pirotecnia.

Recriação histórica "Os Piratas em Matosinhos"

Fotos: DR

O Forte da Nossa Senhora das Neves e o centro histórico de Leça da Palmeira são o cenário escolhido para a recriação histórica “Os Piratas em Matosinhos”, que, a partir de sexta-feira e até domingo, remeterá os visitantes para o século XIV.

Numa área de cerca de um hectare, artesãos, piratas, comerciantes, nobres, mendigos, marinheiros, corsários, alquimistas, escravos e nobres, entre outras personagens, vão participar nesta iniciativa, em Matosinhos.

“Tudo vai acontecer na zona envolvente à fortaleza”, partilha o vereador da Cultura da Câmara de Matosinhos, Fernando Rocha.

O autarca diz que “a ideia de fazer esta recriação nasceu de algum aprofundamento da história local”, acrescentando que a iniciativa “assenta em nomes e factos concretos”.

Fernando Rocha recorda que João Gonçalves Zarco, descobridor da ilha da Madeira que “casou e viveu em Matosinhos”, de início, foi um corsário.

Também João Rodrigues de Sá, alcaide-mor do Porto e donatário de Matosinhos, tinha fundeados barcos de corso ali.

O próprio Forte de Nossa Senhora das Neves, conhecido como castelo de Leça, foi construído para combater os ataques de piratas.

A animação arranca esta sexta-feira, pelas 15h30, com “A caça ao tesouro – À descoberta do século XVII”, seguindo-se um Baile de Máscaras e um espectáculo de malabares de fogo e pirotecnia.

Várias dramatizações

Estão programadas várias dramatizações durante o fim-de-semana, “com tiros de canhão e tentativas de assalto”, por exemplo.

Sábado, vale a pena assistir à dramatização “As Sanzalas de Minas Gerais” (15h), ao julgamento dos piratas (17h), ver os ciganos, saltimbancos e artistas a montar o circo (18h) e ver o desembarque pirata e o rapto das freiras (22h30).

Domingo, há cortejo histórico (15h), leilão de escravos da Guiné (20h), auto-de-fé e condenação à morte do escritor judeu António José da Silva (21h30) e o espectáculo “As Mil e Uma Noites” (malabares de fogo e pirotecnia; 23h).

Fernando Rocha refere que esta iniciativa contará com a presença de cerca de uma centena de comerciantes/artesãos e entre 60 a 70 animadores.

Através de uma inscrição prévia, os visitantes poderão conhecer gratuitamente a fortaleza, estando previstas “3 visitas diurnas e uma nocturna”.

A Câmara de Matosinhos apela aos visitantes a registarem fotograficamente a sua participação na “aventura dos piratas” e a partilharem essa imagem nas redes sociais Facebook e Instagram (com #piratasleca).

O evento decorre sexta-feira, das 15h às 23h, sábado, das 12h às 22h30, e domingo, das 12h às 23h.