19 Jan 2011, 16:15

Texto de Amanda Ribeiro

Comes & Bebes

Perdemo-nos nas horas no Café Vitória

, , ,

É um café, um restaurante e um bar. O Vitória abriu há menos de um mês, mas já nos encantou.

Café Vitória

Quando entramos no Café Vitória, apercebemo-nos que é possível perdermo-nos nas horas. E, a bem dizer, até é esse o desejo da gerência. Há comida fora de horas, muito espaço para conversas e leituras e um jardim interior. O que mais se pode pedir?

A freguesia da Vitória baptizou o espaço da Rua José Falcão, no Porto, cujo conceito nasceu há muitos anos – ainda antes da baixa ser o que hoje é – no seio de um grupo de amigos e conhecidos com ligações à cultura e às artes.

Queriam um espaço informal onde se pudesse comer uma sopa, beber um campari ou trocar dois dedos de conversa. Um pouco dentro do “espírito de taberna”, dizem-nos.  Nós acreditamos, embora não transpareça em nenhum lugar a balbúrdia característica dessas casas de má fama. Só vemos o bom-gosto na decoração, no mobiliário, nas fardas e até na música – Electrelane, Beach House e Animal Collective num espaço de 10 minutos é dose.

Aberto em Dezembro passado, o Vitória não é apenas um café: ao almoço, serve refeições rápidas e um prato do dia (€ 6); à noite, a música sobe de tom no rés-do chão e as três salas transformam-se em bares. Mas atenção: a boémia da noite ou a letargia das tardes de fim-de-semana não são impedimento para pequenos aperitivos – qualquer hora é boa para degustar um pratinho de ovos mexidos com farinheira.

No 1.º piso, o restaurante, que só abre ao jantar, promete ter uma ementa em permanente mudança. Por agora, sugerimos sardinhas marinadas (€ 3,5) como entrada, seguida de bife de lombo com frutos secos (€ 15) ou da alternativa vegetariana bolbo de funcho grelhado com queijo de cabra  (€ 9).

Por último, três maravilhosas notícias: tem um jardim interior, uma sala para fumadores e está aberto ao domingo.