4 Nov 2011, 18:22

Texto de Ana Isabel Pereira

Praça

Pedro Cabrita Reis em exposição na Galeria Fernando Santos

, ,

“Paisagens” fica patente até 23 de Dezembro. Fique com outros destaques das Inaugurações Simultâneas deste sábado no quarteirão da Bombarda.

Pedro Cabrita Reis, The untitled landscapes #43, Acrilico sobre tela, 70 x 70cm

Pedro Cabrita Reis, The untitled landscapes #43, Acrilico sobre tela, 70 x 70cm. Foto: DR

“Paisagens”, de Pedro Cabrita Reis, é a exposição que a Galeria Fernando Santos (Rua Miguel Bombarda, 526) inaugura este sábado, dia de Inaugurações Simultâneas na Rua Miguel Bombarda e artérias adjacentes.

Composta por obras recentes e de pequeno formato de Cabrita Reis, esta “é uma exposição mais intimista, contrária ao carácter territorial avassalador de grande parte das suas intervenções”, descrevem os responsáveis pela galeria em nota de imprensa.

Pode contar com “universos contidos, matéricos, densos e espessos” que o vão remeter “de imediato para paisagens exteriores”, sem deixar de, como é próprio da obra do pintor, lhe “trazer a consciência de estados de alma e paisagens interiores”.

Nascido em 1956, em Lisboa, Cabrita Reis participou em importantes exposições internacionais e o seu trabalho tem sido exibido em exposições organizadas por diversos museus e centros de arte um pouco por todo o mundo.

Ainda em Outubro, a mostra itinerante, de cariz quase antológico – reuniu mais 300 obras desde 1985 até à actualidade –, “One after another, a few silent steps” esteve no Museu Colecção Berardo, tendo sido um sucesso incontornável.

“Paisagens” fica patente na Fernando Santos até 23 de Dezembro.

Outros destaques

Fique com outros destaques desta edição das Inaugurações Simultâneas. Vale a pena passar pela galeria Quadrado Azul, que recebe a exposição “pré-86 e pós-86”, de Ângelo de Sousa, falecido este ano. Para ver até 23 de Dezembro na Rua Miguel Bombarda, 578.

“Hey Mikel” é a exposição que ocupa até 19 de Janeiro o Quarto Alugado da Dama Aflita na Pensão Favorita (Rua Miguel Bombarda, 267). Miguel Sousa é um jovem criativo de 22 anos, de Barcelos, recentemente licenciado e que se assume como ilustrador e designer gráfico freelancer. “Tem desenvolvido alguns projectos de carácter pessoal como fanzines, notebooks e ilustrações”, diz a malta Dama Aflita no material de divulgação da exposição.

Em “Hey Mikel”, explora “um universo mais místico e urbano, repleto de personagens do fantástico portadoras de uma grande carga visual”. A inauguração é sábado, às 17h.

A Galeria Presença (Rua Miguel Bombarda, 570) apresenta “Mão Livre”, uma exposição do lisboeta radicado no Porto Isaque Pinheiro. A inauguração é às 16h.

O maiato Gil Maia expõe a sua pintura na Galeria São Mamede (Rua D. Manuel II, 260). “Constructiones in Ecclesia” fica parente a partir das 16h deste sábado e até ao final do ano.

Rita Melo é um exemplo de uma nova realidade na pintura contemporânea portuguesa, “com as influências inevitáveis da crescente globalização”, pode ler-se na sinopse da exposição “Pinturas (Ultra)Passadas”, que a pintora apresenta na Galeria Serpente (Rua Miguel Bombarda, 558) até 22 de Dezembro.

A Galeria Trindade, que mudou de instalações e agora está no número 141 da Miguel Bombarda,  inaugura, pelas 16h, a mostra de Catarina Garcia  “Sonho Imaginado”.

Não é este sábado, mas é já segunda e a Praça entende que merece destaque. O espaço 604 RC (Rua Guerra Junqueiro, 604) inaugura então no dia 7, pelas 21h30, a terceira mostra de exposições do ciclo “6 artistas Ou 4 exposições” com  a pintura das artistas plásticas Graça Paz e Cláudia Brito. A exposição fica até 3 de Dezembro.