7 Abr 2011, 10:18

Texto de Pedro Rios

Coisas

Pastor da Gardunha: O Fundão no centro do Porto

,

Ana teve a ideia para dar a volta ao desemprego, Joana congelou a matrícula no ensino superior para a ajudar: juntas abriram a Pastor da Gardunha, com produtos típicos da Beira Baixa.

Pastor da Gardunha

Nenhuma altura do ano é má para o bom velho mel. Foto: PR

Queijos, enchidos, azeites, vinhos, licores, jeropiga, compotas sem adição de açúcar com aloe vera, chás biológicos… Quase todos os produtos que ocupam as prateleiras faziam parte da infância das irmãs Martins no Fundão (e restante Beira Baixa). Ana teve a ideia para dar a volta ao desemprego, Joana congelou a matrícula no ensino superior para a ajudar: juntas abriram a Pastor da Gardunha.

A loja, que abriu em Dezembro passado, levou para a Rua de Cedofeita um bocadinho do Fundão, onde Joana e Ana viviam até virem para o Porto estudar. Foram os repetidos pedidos dos colegas de cursos para trazerem destas coisas para o Porto que levou Joana a achar que havia mercado para uma loja destas.

Na Pastor da Gardunha, só há produtos “vindos da terra” e com os quais as 2 irmãs estão “à vontade”, conta Joana à Praça. Só 2 marcas se encontram em grandes superfícies, as restantes são de “pequenos produtores”, contactados directamente.

Os produtos mais procurados variam consoante a altura do ano, mas reinam os enchidos e os queijos, sobretudo os amanteigados. “Os portuenses adoram queijos amanteigados. Não gostam muito de queijo duro”, ri-se.