5 Jan 2013, 12:52

Texto de Ana Isabel Pereira

Comes & Bebes

Os sabores e produtos tradicionais aqui à mão

, , , ,

A Mosaico de Sabores, na baixa do Porto, é uma ”mercearia contemporânea” que pretende dar a (re)conhecer os reais sabores dos produtos portugueses.

Mosaico de Sabores

O bacalhau e o fumeiro são 2 dos principais produtos à venda nesta mercearia. Fotos: Miguel Oliveira

A Mosaico de Sabores abriu no início de Dezembro no número 67 da Praça Guilherme Gomes Fernandes, na baixa do Porto. É uma “mercearia contemporânea” que pretende dar a (re)conhecer os reais sabores dos produtos portugueses.

No espaço que agora vende o melhor que Portugal tem para pôr na mesa funcionaram em tempos os escritórios da  Moagem Céres – a obra desta mercearia moderna permitiu colocar a descoberto uma publicidade antiga da empresa.

“É um projecto que já está na minha cabeça há muito tempo”, entabula Francisco Carvalho, o dono. Este engenheiro civil de 35 anos já trabalhou nos 4 cantos de Portugal e quando lhe ofereciam produtos locais artesanais, daqueles que já não encontramos nas grandes superfícies, pensava “Mas porque é que eu em casa não tenho isto?” e “Porque é que eu não posso comer isto no Porto?”

E quando Francisco e a esposa, Luísa, de 41 anos, traziam presunto, queijos e outras maravilhas regionais para os amigos do Porto, estes perguntavam onde é que podiam encontrar aqueles produtos na cidade.

Foi o empurrão que faltava para que Francisco, que viu o seu volume de trabalho diminuir à medida que a crise se acentuava no país e na construção civil, pusesse as mãos à obra e abrisse esta “mercearia contemporânea”, onde os 5 principais produtos são o queijo, o fumeiro, o azeite, o vinho e o bacalhau.

[caixa]Esplanada para breve. A Mosaico de Sabores vai ter uma pequena esplanada e “2 ou 3 mesas” na sala das traseiras para degustação dos produtos regionais que vende e servirá “café, vinho a copo e sumo de laranja”, na época do fruto. A esplanada aguarda o licenciamento da Câmara do Porto, mas Francisco Carvalho acredita que conseguirá montá-la já em Fevereiro. Para além das vendas na loja, Francisco e Luísa querem incentivar os clientes estrangeiros a, uma vez nos seus países, encomendar aquilo de que gostaram.[/caixa]

“Os produtores artesanais têm muita dificuldade em colocar os produtos deles no mercado. Por outro lado, nós temos necessidade de levar para casa sabores mais tradicionais”, acrescenta Francisco.

Na Mosaico de Sabores, há queijos da Serra, Rabaçal, Beira Baixa, Castelo Branco, Azeitão e Transmontano – e, não sendo queijo, vale a pena referir também que há queijadinhas de Sintra, da Casa do Preto! Os azeites (de Trás-os-Montes, Ribatejo e Alentejo) são quase todos artesanais e a mercearia vende garrafões de 5 litros da marca Al Canet. O bacalhau é da Esbal, de cura tradicional, segundo método nacional ancestral. No fumeiro, destaque para as alheiras de Mirandela (6,5 euros ao quilo) e de Vinhais (8 euros ao quilo). Os vinhos? São cerca de 100 as referências disponíveis, num cantinho especial da mercearia.

Que nem pãezinhos quentes

Mosaico de Sabores

Na parte de trás da mercearia há um cantinho para os vinhos.

Depois, há chás – os de urze e de folha de oliveira da Quinta Nova de Nossa Senhora do Carmo prenderam a nossa atenção –, chocolates, biscoitos, doces e compotas – as geleias de moscatel e de vinho do Porto d’A Portugueza saem que nem pãezinhos quentes –, conservas, pão de Padronelo e pão de trigo de Mirandela cozido em forno a lenha, folares de carne e de azeite e – como já vai sendo habitual neste tipo de espaços – louça da Bordallo Pinheiro. Ao todo, são mais de 500 os produtos diferentes que Francisco e Luísa têm à venda.

“Fomos aos vários sítios buscar as coisas boas da terra”, explica à Praça, sempre de olho posto em quem entra pela porta. Francisco está praticamente a 100% na Mosaico de Sabores, enquanto a mulher e sócia continua a trabalhar como gestora na área alimentar. São ambos do Porto, mas ele tem “uma costela paivense” e ela “uma costela transmontana”.

As alheiras de Vinhais que vende na mercearia, por exemplo, foram-lhe dadas a provar em Vila Real. “Gostei muito e hoje tenho-as aqui na loja”, refere.

Francisco diz que a “política” da Mosaico de Sabores é “ter produtos artesanais e bons, sempre”, e a um “preço competitivo e justo”.

“E se nos pedem uma coisa diferente, que nós não temos, apontamos e vamos ver quem tem e quem não tem”, acrescenta.

A Mosaico de Sabores abre de segunda a sábado, das 10h às 19h.

 

  1. Vitaldent says:

    Um excelente ideia. Não há nada como as “coisas boas da terra”. Não há comparação possível. Tudo é diferente, desde o sabor ao cheiro.