4 Jun 2012, 12:54

Texto de Ana Luísa Oliveira

Praça

O que diz de si a sua maquilhagem?

,

”Muito”, assegura Lucília Lara. A Praça infiltrou-se num workshop de maquilhagem com a ex-modelo e maquilhadora profissional e conta-lhe como é simples ficar mais bonita.

Workshop de maquilhagem com Lucília Lara

Fotos: Ana Luísa Oliveira

Se é daquelas mulheres que fica confusa só de olhar para a palete das sombras, não sabe que tom de base usar e passa horas ao espelho a tentar fazer o risco dos olhos direito, então este artigo é para si.

A Praça infiltrou-se num workshop de maquilhagem com Lucília Lara, ex-modelo e maquilhadora profissional, e conta-lhe como é simples ficar mais bonita.

Quando um homem vê uma mulher com um batom vermelho o que lhe vem à cabeça? Uma mulher confiante? Uma mulher sensual? Uma mulher com poder? Poderão os nossos lábios ou olhos dizer muito do que somos? Lucília Lara não tem dúvidas que a “maquilhagem diz muito da nossa personalidade”.

Então se calhar o melhor mesmo é continuar a ler e perceber um pouco mais deste mundo das bases, dos pós, dos pincéis, dos rímeis, das sombras e dos batons, ou correrá o risco de parecer uma Gata Borralheira, quando o que pretende mesmo é ser transformar-se numa Cinderela – agora os homens já podem parar de ler porque o que se segue é só para elas.

Não é assim tão difícil calçar o sapato de princesa.  Não há propriamente um manual oficial com regras de etiqueta na maquilhagem, mas há noções básicas que podem ajudar a não dar tiros nos pés.

Fomos saber quais são, no workshop de Lucília Lara na Cai Coração, uma agência especializada em eventos chave na mão, na Ribeira do Porto – o próximo é dia 23 de Junho, no Muuda, na Rua do Rosário. Na vida real, não há maquilhadoras profissionais que nos ajudam a ficar com bom ar, por isso, nesta formação cada uma aprende, passo a passo, a usar os produtos mais adequados ao seu tom de pele.

Regra número um: só é permitido usar rímel verde ou azul no Carnaval. O tom é de gracejo, mas o aviso à navegação feminina é sério. Lucília Lara sabe bem do que fala. Diariamente, ajuda as mulheres a tornarem-se e sentirem-se mais bonitas, as que vemos nas revistas, nos desfiles de moda, nas novelas, mas também as mulheres comuns que passam ao lado da fama.

“É uma forma de valorização pessoal no dia a dia, de terem mais auto-estima. Procuramos ajudar as mulheres a gostarem delas próprias, através de ferramentas simples que estão ao seu alcance”, explica à Praça a maquilhadora.

Regra número 2: ter um kit de sobrevivência, com um corrector de olheiras (de preferência líquido para não secar tanto a pele e mais claro do que o tom natural), pó solto ou compacto para matizar a pele e tirar excessos de gordura e oleosidade), rímel, blush (mais rosado para peles claras e em tons de pêssego para peles intermédias) e gloss.

Regra número 3: Less is more. Nada de exageros. Se o batom é forte, o tom dos olhos tem de ter cores suaves e vice-versa. Durante o dia, a maquilhagem deve ser suave, até porque “deve ser gradual e escurecer como o dia”. Na opinião da maquilhadora, os tons terra e as cores neutras não comprometem e adequam-se bem ao tipo de pigmento, cor dos olhos e de cabelo das mulheres portuguesas. Se tem pele morena, esqueça as sombras em tons de azul claro, por que lhe dão um ar “doente”. Se tem um rosto mais arredondado, o melhor mesmo é optar por um blush acastanhado para afunilar o rosto.

Última dica: para prolongar o “efeito Cinderela”, basta borrifar o rosto com água termal.