Image de O projecto Namban Oporto Kitchen serve comida japonesa em casa

Fotos: Cláudia Silva

Imagem de O projecto Namban Oporto Kitchen serve comida japonesa em casa
Imagem de O projecto Namban Oporto Kitchen serve comida japonesa em casa

20 Fev 2014, 14:04

Texto de Rafael Ferreira

Comes & Bebes

O projecto Namban Oporto Kitchen serve comida japonesa em casa

Miguel Cunha e Sako Arao são os fundadores do projecto Namban Oporto Kitchen. Recebem os clientes no seu apartamento, onde confeccionam e servem comida japonesa.

A Namban Oporto Kitchen fica no centro do Porto, mas como em qualquer “supper club” a morada só é divulgada a quem vai aos eventos, e explora um novo conceito de comida japonesa. No Porto não faltam chefes a confeccionar iguarias japonesas em casa dos comensais, mas o que Miguel e Sako fazem é diferente. Transformam a sua própria cozinha em palco de tertúlias e restaurante informal.

O negócio, com quase um mês, subsiste através de eventos, 2 ou 3 por mês, em que as pessoas se inscrevem, através da página oficial do Facebook deste “supper club”, para um momento diferente que acaba por incluir a refeição. É “como se fosse uma tertúlia”, explica Miguel Cunha à Praça.

A ementa, que inclui pratos japoneses que são confeccionados a partir de ingredientes portugueses – “assim acabamos por ajudar a economia local, que é uma das nossas preocupações”, diz Miguel Cunha –, muda mensalmente.

O menu de Fevereiro inclui um cocktail de boas-vindas, carpaccio de carapau, fukumeni de abóbora com canela, croquete japonês de bife e batata servido com molho caseiro, cream-ni de nabo com chouriço, dourada escalfada em sake, arroz da estação servido com picles japoneses caseiros, arroz de lombo de porco e batata doce, sopa miso com grelos, trifle de chá verde e chá japonês ou café.

A confecção dos pratos fica a cargo Sako e o preço desta ementa varia entre os 25 e os 35 euros (o preço varia conforme o nível de detalhe dos pratos).

Miguel e Sako conheceram-se há quase 20 anos, em Londres, Inglaterra. Ela tirava um curso em Escultura e ele estava a formar-se Design de Mobiliário. Foi “o grande interesse” que partilhavam “por comida, principalmente a japonesa”, que os levou a regressar a Portugal.

Sempre sonharam abrir um sítio no Porto e estavam “cansados da vida em Londres”, contam. “Queríamos ter uma vida mais calma e o nosso filho tem 6 anos e precisávamos de família e quase não tínhamos tempo para ele, andavamos sempre ocupados”, conta Miguel Cunha.

Ainda em Inglaterra, Sako Arao recebeu “uma proposta de trabalho no Algarve”, para dar aulas, que acabaria por sair ‘furada’. “Foi apenas uma desculpa” para regressar, explicam. “O que nós queríamos era vir para Portugal e começar a fazer projectos, só que no Algarve é muito difícil desenvolver [projectos]”, conta Miguel.

Japonês não é só sushi

“Nós queremos mostrar às pessoas que a comida japonesa não é só sushi, porque até os japoneses nem comem muito sushi“, justifica o designer.

Para participar nos eventos da Namban Oporto Kitchen, tem, em primeiro lugar, de se inscrever através do Facebook do projecto. Depois, deve enviar um email ao Miguel e à Sako, que lhe enviarão um NIB para que faça o depósito de um sinal. “De seguida, nós enviamos uma confirmação e, por fim, pagam o resto quando chegarem aqui”, explica Miguel.

Os eventos estão limitados a um número máximo de 8 pessoas, mas podem acontecer caso haja só uma inscrição.

Em breve, a Namban Oporto Kitchen deverá “fazer noites económicas”, com “uma piza ou uma panqueca japonesa, que pode ser feita para 8,9 ou 10 pessoas”. “Isso também dá a oportunidade às pessoas que não têm tanto dinheiro de pagar um menu mais elaborado e ter uma experiência de cozinha japonesa”, explica o casal.

Lançar workshops para ensinar a preparar comida japonesa é outra ideia que Miguel e Sako têm em mente. “É fácil aprender a fazer comida japonesa, mas depende dos pratos”, afiança Miguel, que, quando não está a fazer de anfitrião na sua própria casa, coordena um serviço de consultadoria em design de interiores e faz chapéus e outros acessórios de moda.

Os eventos da Namban Oporto Kitchen começam sempre às 21h e terminam às 23h30. Quem entra em casa do Miguel e da Sako tem de obdecer a uma regra de ouro: deve trocar os seus sapatos por uns chinelos tipicamente japoneses.