27 Mai 2012, 11:50

Texto de Ana Isabel Pereira

Comes & Bebes

O primeiro “winery restaurant” a abrir no Douro

, ,

A utilização de produtos locais, os vinhos a preço de adega e a possibilidade de os clientes levarem a sua própria garrafa são as principais características do novo restaurante da Quinta Nova, em Sabrosa.

Restaurante Conceitus

O novo restaurante da Quinta Nova de Nossa Senhora do Carmo é o primeiro “winery restaurant” a abrir no Douro. E o que é isso?, pergunta o leitor. É um restaurante que fica numa adega produtora de vinhos e um conceito em voga nos Estados Unidos, África do Sul e Austrália. A utilização de produtos da região e o sistema BYOB (Bring Your Own Bottle ou Traga a sua própria garrafa) são 2 novidades.

O restaurante do hotel vínico de Covas do Douro, concelho de Sabrosa, já existia mas o espaço e o conceito gastronómico sofreram um facelift. O novo projecto trabalha o conceito do local food e põe os vinhos a comandar a gastronomia. O Conceitus ocupa uma sala de uma casa senhorial do século XVIII, cuja traça foi mantida, e tem esplanada, coberta por uma ramada e com soberbas vistas sobre o rio e vinhas.

Com assinatura do chefe Tavares Pinto, de 36 anos e natural de Vila Real, a cozinha é inspirada nos costumes e tradições da região do Douro, privilegiando os sabores locais e os produtos de cada época.

Os produtos hortícolas e frutícolas e o pão são locais e os peixes – barbo, lucio, achigã – “são conseguidos junto de pescadores da região”, explicou, por email, à Praça o chefe que chegou à Quinta Nova para lançar este Conceitus, depois de ter passado pelos hotéis Vintage House, Aquapura e Quinta da Romaneira.

As “ervas aromáticas, especiarias e frutas”, como os citrinos, a amêndoa, o figo, a cereja e, claro, as uvas usadas na cozinha do restaurante são da quinta. “A carne também é da região”, sublinha Tavares Pinto, que é conhecido por trabalhar a gastronomia regional com recurso a tudo o que a natureza oferece e imprimindo-lhe um toque contemporâneo.

A iniciação pode – e deve – ser feita com o menu “6 Momentos”. Por 43 euros, trazem-lhe à mesa “3 entradas, 2 pratos principais, uma sobremesa e ainda algumas surpresas pelo meio, que terão que ser provadas e não reveladas”. Quem diz é o chefe.

“No Conceitus , e não há um dia igual ao outro, é sempre tudo diferente, feito no momento e pensado de acordo com os produtos disponíveis para o dia”, diz Tavares Pinto, acrescentando que, no próprio dia, e de acordo a previsão meteorológica, pode “decidir fazer algo diferente”. O chefe não gosta de “estar limitado por uma carta rígida e obrigatória” e, ao jantar, evita servir “alimentos de difícil digestão”.

Durante o dia e com o calor do Verão, há sopas frias, como a sopa de melão. Para os vegetarianos e para quem tem intolerância ao glúten, também há boas notícias: o Conceitus tem menus Vegan e Sem Glúten, cada um incluindo 3 pratos. Espere, porque as boas novas continuam: “Ambos podem ser combinados com as nossa experiências vínicas, porque o vinho é vegan e glúten free“.

Leve o vinho, não paga taxa

Como winery restaurant que se preze, o Conceitus puxa a brasa à sua sardinha e vende “a um preço muito especial – de adega –” os vinhos da Quinta Nova, mas ninguém é impedido de consumir vinhos de outros produtores. “A ideia é que qualquer visitante, se o desejar, leve os seus próprios vinhos, podendo degustá-los em harmonia com os nossos menus”, explica à Praça a administradora da Quinta Nova Luísa Amorim.

O Conceitus, ao contrário do que é habitual, não cobra qualquer taxa de rolha. “A ideia é que todos se sintam bem, entre amigos”, explica Luísa Amorim.

Entre os vinhos da Quinta Nova, há raridades “que a Quinta Nova já não comercializa”, “10 referências de vinhos do Douro, tintos e brancos, e 3 de vinho do Porto, seleccionados pela equipa técnica” da empresa. E há mais: “todos os vinhos que são as novidades do ano e que se encontram nas nossas experiências vínicas, podem ser pedidos a copo”.

Do valor das garrafas, 20% a 80%, dependendo do vinho, reverte para a Associação Bagos d’Ouro, causa social que apoia a educação de miúdos e jovens carenciados no Douro.

“No final, quem quiser levar para casa 6 garrafas ainda tem acesso a um desconto muito vantajoso”, refere Luísa Amorim.

Para os “de fora”, o Conceitus encerra domingo ao jantar e segunda-feira todo o dia – para os hóspedes do enoturismo, o restaurante garante as refeições todos os dias.