14 Mai 2011, 0:38

Texto de Pedro Rios

Praça

Mini Porto Belo: Este mercado é uma brincadeira muito séria

,

Quem manda nas bancas são as crianças, que põem à venda brinquedos, livros e objectos lá de casa. Este sábado há mais uma edição do Mini Porto Belo.

Tânia Santos

Tânia Santos sorri ao ver os pequenos vendedores. Foto: PR

Quando o Mercado Porto Belo apareceu e fez com que os sábados nunca mais fossem os mesmos na Praça Carlos Alberto, no Porto, uma coisa tornou-se clara: não faltavam crianças e respectivos pais a espreitar as bancas de objectos antigos e artesanato.

Estávamos no Verão de 2009 e ainda faltava algum tempo até que Inês Magalhães, mentora do Porto Belo, tenha visto em Tânia Santos, de 29 anos, criadora com presença habitual no mercado, a pessoa ideal para um spin-off que surgiu na sua cabeça: o Mini Porto Belo, na mesma praça portuense. A quinta edição acontece este sábado, das 14h30 às 19h.

É um mercado dentro do mercado “pai”. O Porto Belo acontece todos os sábados e uma vez por mês acolhe o Mini. Quem manda nas bancas são as crianças, que põem à venda brinquedos, livros e objectos lá de casa.

“Mesmo os miúdos mais irrequietos estão ali 2 horas compenetrados nas suas vendas”, diz Tânia, em conversa com a Praça num café da Praça Carlos Alberto.

O Mini Porto Belo faz dos miúdos vendedores (é tudo quase a brincar: nenhum objecto custa mais de 1 euro) e também revela talentos (na última edição ouviram-se uma harpista, um saxofonista e um flautista, todos miúdos), mas a animação começa em casa, quando os petizes recebem um e-mail de Tânia com instruções: “têm que trazer trocos, devem sorrir, há cafés [nas redondezas]. Eles sentem-se muito importantes com esse e-mail“.

Com isto, Tânia quer “responsabilizar os miúdos”. “Eles são os protagonistas, mas têm que assumir responsabilidades”, diz a organizadora, que sorri quando vê “bancas puras e imaculadas da intervenção dos pais”: um objecto a que a criança já não ligue pode ser vendido por 5 cêntimos, por mais valioso que fosse originalmente.

  1. Rosa Maria Marques says:

    Visitei esta feira pela primeira vez no passado dia 21 de Maio, só quero dizer que adorei o que vi. Muita cor, muita alegria, música e simpatia. Peças variadas, e acima de tudo o ambiente de uma feira, mas uma feira muito especial e inovadora.
    Fiquei com vontade de voltar e apesar de viver a m ais de 100 kms de distância, visitarei este espaço sempre que me for possível.
    Rosa Maria