Image de Leitaria da Baixa leva-nos a viajar por um passado doce

Fotos: Cláudia Silva

Imagem de Leitaria da Baixa leva-nos a viajar por um passado doce
Imagem de Leitaria da Baixa leva-nos a viajar por um passado doce

2 Fev 2014, 14:43

Texto de Maria Martinho

Comes & Bebes

Leitaria da Baixa leva-nos a viajar por um passado doce

A Rua Passos Manuel, no centro do Porto, despediu-se de um armazém de fazendas para receber a Leitaria da Baixa, um espaço que “revive os cheiros e os aromas de antigamente”, do café de saco aos bolos caseiros.

Cristina Aguiar, uma das 3 sócias deste salão de chá inaugurado em Novembro, promete um “regresso à tradição” num ambiente acolhedor, confortável e familiar, bem ao estilo “de uma casa de avó”.

Por aqui reinam os doces, maioritariamente confeccionados no local, que diariamente fazem as delícias de quem entra no número 55 da Rua Passos Manuel.

Há bolos caseiros diferentes todos os dias, vendidos à fatia por 1,30 euros e que podem ser de noz, chocolate, ananás ou maçã e canela. Scones, brigadeiros, muffins de Nutella ou de morango, queijadas, brownies e pastéis de nata são outras iguarias que se podem saborear. Para acompanhar, há chocolate quente (1,40 euros), cappuccinos (1,30 euros), vinho do Porto (2,50 euros) ou uma vasta oferta de chás. Limão com gengibre, frutos vermelhos e chocolate com baunilha são os chás mais procurados.

Nos “dias especiais”, que é como quem diz às sextas e sábados,  há também  rabanadas (1,30 euros) e bolas de berlim, com creme ou sem creme (um euro).

O menu de pequeno-almoço chama-se “Passos Manuel” e está disponível a todas as horas. Por 1,90 euros pode escolher um café de saco, uma meia de leite ou um chá, e um pão, de mistura ou cereais, ou um croissant folhado. Tudo isto acompanhado por compotas e manteiga.

Já o menu “Clérigos”, de almoço, custa 4,90 euros e inclui sopa, uma sanduíche à escolha (salmão fumado, atum, carne assada, lombo de peru, tomate e mozzarella, queijo fresco com salame ou presunto e queijo) e batatas fritas caseiras, ou um salgado com salada, café, bebida (groselha, limonada, laranjada ou refrigerante) e uma sobremesa (mousse de chocolate, leite-creme ou aletria).

Pormenores românticos

O edifício era um antigo armazém de fazendas e desses tempos sobreviveram o chão de madeira original, uma escada que agora é uma prateleira e as mesas onde se cortavam os rolos de tecidos – e que agora estão completamente renovadas.

“Ter uma esplanada interior ou exterior era uma prioridade”, confessou Cristina à Praça, justificando a existência de 2 espaços num só. É que, depois de se cruzar com uma simpática bicicleta à porta, quem entra na Leitaria da Baixa depara-se com uma esplanada interior onde as mesas e as cadeiras são de madeira e é permitido fumar.

Se, de um lado, está um móvel restaurado recheado de objectos antigos, como balanças ou ferros de engomar, e muitas revistas e jornais, do outro, preste atenção a um painel que funciona como mural. “É um espaço para partilhar [informações] com os clientes e para lhes dar a oportunidade de falar. Está disponível para ser utilizado e receber sugestões de todos”, começa por explicar a dona.

O objectivo é que qualquer pessoa que tenha um hobby, uma colecção ou uma habilidade, para desenhar ou fotografar, tenha aqui um cantinho para expor o seu engenho. Em breve esta parede será preenchida com rótulos antigos de vinho do Porto.

A área seguinte, bem mais romântica e aconchegante, é pincelada de tons claros como o branco, o café com leite e o camel. Em cada recanto existem flores e andorinhas de barro e, a caminho das casas de banho, há uma poltrona. Há outros detalhes que não passam despercebidos, como os aventais das funcionárias, os cestos de pão, os guardanapos e as almofadas das cadeiras, que são forrados com o mesmo padrão floral colorido.

A curto prazo a intenção dos sócios da Leitaria da Baixa é aproveitar o lugar para fazer provas de doces e licores tradicionais, workshops e formações de culinária e apresentações de livros.

“A partir de Março, nas primeiras sextas-feiras do mês, vão haver solos de guitarra ou saxofone e cocktails”, adiantou à Praça Cristina Aguiar. Com o mesmo nome, o desejo é expandir o negócio pelo país, nomeadamente em Lisboa. A Leitaria da Baixa está aberta de segunda a sábado das 9h às 19h.