22 Jun 2011, 16:58

Texto de Ana Isabel Pereira

Praça

Já há aulas para vestir, olhar e seduzir como ela

, ,

Até gostava de encarnar uma personagem assim, nem que fosse durante algumas horas, mas não sabe por onde começar? A Praça foi saber mais sobre o assunto e descobriu um estúdio no Porto com aulas de dança burlesco e pole dance.

Está a ver o jeito e as curvas, que parecem ter vida própria, de senhoras como a actriz Betty Garble, imagem de marca das primeiras pin-up – foi assim que as modelos das fotografias reproduzidas em massa nos anos 40 –, e, mais recentemente, Dita Von Teese, a femme fatale e símbolo do burlesco? Até gostava de encarnar uma personagem, nem que fosse durante algumas horas, mas não sabe por onde começar? A Praça foi saber mais sobre o assunto e descobriu que no Porto, existe, pelo menos, um estúdio de dança onde é possível aprender a arte de ser pin-up e do burlesco.

Já agora, e antes de avançarmos, sabia que o termo pin-up (que vem de “afixar” em inglês) está associado aos calendários e posters que os militares americanos guardavam nos cacifos durante a II Guerra Mundial? É verdade.

Voltando ao que nos traz aqui, no Patricya Rocha Dance Studio, há aulas de dança burlesca todas as quintas e sextas-feiras, pelas 21h e pelas 18h30, respectivamente.

Nesta academia de sedução, que fica na Alameda Basílio Teles, 9, em Massarelos, as alunas, mulheres “gordas, magras, altas e baixas”, dos 16 aos 55 anos – garante à Praça Patricya Rocha – juntam-se para aprender “uma arte performativa intimamente ligada à comédia, divertida, animada e que melhora a auto-estima e a confiança”.

Para além de eliminar o stress, estas aulas de 90 minutos têm a vantagem de tonificar também os músculos. A mensalidade (só) custa 30 euros. Para as senhoras mais tímidas, fica esta dica: Patricya também dá aulas individuais, por isso, ligue e combine tudo com a própria.

Se estiver numa de experimentar, pode sempre optar pela modalidade workshop. “Os workshops são, normalmente, ao sábado ou ao domingo, em horário a combinar”, refere Patricya. Só tem de convencer 6 amigas (o número mínimo para realizar a oficina; o número máximo é 10) e desembolsar 65 euros (preço por pessoa).

Para breve, está prevista a abertura de um workshop de pole dance. “O Pole Dance vai funcionar como workshop, para vários níveis, de 6 aulas de uma hora e meia” e custará 100 euros por pessoa, disse à Praça Patricya Rocha.

“Posso ir com roupa desportiva?”

Humm, “na primeira aula, sim”, diz a responsável. Depois, recomenda-se o uso de saltos altos. “Com o tempo vai perceber que o uso de roupas de estilo burlesco potencia o espírito que se pretende incutir”, explica Patricya.

Por isso, já sabe, tire do baú “corpetes, chapéus, plumas, leques” e aquela lingerie do antigamente. Com esses elementos e a sua imaginação, crie uma personagem burlesca.

“Tenho de tirar a roupa enquanto danço?”

Não! Vamos lá pôr os pontos nos ii. “A dança burlesca nao é uma dança obscena”.

Os movimentos são, isso sim, “genuinamente sensuais”. As mulheres caminham “com o peito para fora”, atirando os “ombros para trás”, em “movimentos ondulatórios, como se quisessem desenhar um oito com a anca”. Rodam a cabeça e, vá, pronto, também gatinham.

Este estúdio de dança, um espaço intimista e com vistas para o rio Douro, abriu em Abril e oferece um vasto leque de modalidades, do balê às danças latinas, passando pela dança do ventre e pelo pilates.