17 Mar 2012, 14:23

Texto de Ana Isabel Pereira

Coisas

Inspiração vintage e cores fortes e que fazem lembrar guloseimas

Para elas, as grandes novidades desta Primavera/Verão são as peças de inspiração vintage, como as saias lápis dos anos 50 e os vestidos à anos 20, e as cores fortes e que fazem lembrar guloseimas.

Vestido da ilovelowie. Foto: DR

Para elas, as 2 grandes tendências desta Primavera/Verão são as peças de inspiração vintage e a paleta de cores, com tons a lembrar guloseimas e outros mais fortes e arrojados.

Dos anos 20, saltam do armário “os vestidos de cintura descida de corte recto, com aplicações de franjas ou missangas”. E a feminilidade dos anos 50 que volta a ser tendência depois de ter regressado à ribalta na estação fria. As saias lápis abaixo do joelho, por exemplo, vieram mesmo para ficar. “Nesta estação, apenas mudamos as cores e aplicamos-lhes um folho a toda a volta”, explica à Praça Cláudia Ribeiro, consultora de imagem no gabinete Fashion Adviser do Dolce Vita Porto.

Nas saias, as novidades são as de corte assimétrico e as plissadas: curtas ou compridas. Nas calças, mantém-se a tendência skinny pelo tornozelo, mas continuam a usar-se as largas com pregas ou de corte a direito e sempre longas.

“Os calções curtos ganham evidência quando usados com saltos altos e blazer como vimos nos desfiles da Givenchy”, aponta Cláudia Ribeiro, que deixa uma dica para quem gosta de um look masculino: “combine-os com sapatos de atacadores e camisas minimais”.

[caixa] SAIBA EM QUE INVESTIR. Aqui ficam as dicas de Cláudia Ribeiro: “Os blazers são sem dúvida um excelente investimento. Opte pelos clássicos com um excelente corte e acabamento, abuse na cor e use-os com calções curtos como vimos em Givenchy. E as saias pencil de cintura subida e abaixo do joelho, vimo-las em Prada, Jil Sander e Lanvin”. [/caixa]

Nos vestidos, em que, como vimos, é mais evidente a tendência vintage, só há uma regra: serem muito femininos.

Joana Campos Silva e Sara Graça, das Fashion Thinkers, acrescentam a estas tendências o “pijama” – sim, não leu mal, as pajama pants são um modelo de calça que têm feito sucesso nas passarelas – e o “Oxford style“.

As saias pencil de cintura subida e abaixo do joelho viram-se no desfile de Lanvin. Foto: DR

As cores

As cores vivas, como o azulão, o coral, o vermelho e o verde-esmeralda, estão in nesta Primavera/ Verão e a magia está em saber usá-las. Cláudia Ribeiro explica que pode fazê-lo “num look total ou combinadas entre elas”.

No entanto, como aconselha Divine Shape, jornalista do Porto e autora do blogue sobre moda e design homónimo, é preciso parcimónia na hora de desatar a comprar peças de roupa e acessórios em cores fluorescentes. “Porque é daquele tipo de coisas que vai estar super na moda esta estação e na próxima Primavera já ninguém vai poder ver cores berrantes à frente”, aponta a jornalista do Porto.

O melhor mesmo é apostar numa ou outra peça-chave que possa conjugar em diferentes conjuntos e num ou outro acessório.

Há outras cores na paleta da estação. O dourado e o prateado também estão de volta, para serem usados de dia e de noite. Mas preste atenção ao conselho de Cláudia Ribeiro: ” de dia não se deve abusar”.

[caixa]SALTAM DO ARMÁRIO os vestidos cintados ou saias rodadas a lembrar os anos 50, as blusas de tons pastéis, as sandálias sem salto – “parece que finalmente não é obrigatório usar saltos para ter estilo”, comenta com agrado Divine Shape – e as sabrinas. “Nesta estação, vamos ao armário da avó e da mãe para um look anos 20 e anos 50″, brinca Cláudia Ribeiro. Joana Campos Silva vai tirar o armário uma “gabardine bege com botões dourados da Massimo Dutti” e Sara Graça as suas “Russel&Bronley Biker Boots”. As blusas largas com golas também são recuperadas. É “tirar as ombreiras e usar e abusar de blusas dos anos 70”, dizem as Fashion Thinkers.[/caixa]

“O preto e o branco são eternos e podemos vê-los juntos ou separados, o branco usa-se num look total e o preto também ou misturado com dourado para um luxo extremo”, explica a consultora de imagem.

Entre os “tons pastel a lembrar guloseimas”, Cláudia Ribeiro destaca “o verde-menta, o amarelo, o rosa velho e o azul celeste”.

As Fashion Thinkers aconselham o “azul profundo, azul marinho, amarelo canário e amarelo torrado, cores creme, cores mate – verde mate, amarelo mate e beje – e tweed. Os padrões a usar são as “flores, os padrões asiáticos, peruanos e mexicanos”. As texturas da estação, de acordo com Joana e Sara, são as “sedas, acetinados, malhas e sarja”.

Foto: DR

Peças-chave

“Os vestidos são essenciais nesta estação, a lembrar os anos 20 ou os anos 50 e plissados. Os blazers são para usar com calções curtos e também com saias e calças” – mas não com os vestidos, atenção –  e as saias, que se usam em vários modelos, “são obrigatórias”. Para além destes must have, Cláudia Ribeiro põe ainda em cima da mesa “os colarinhos postiços vistos no desfile da Louis Vuitton, em bordado inglês, com aplicações de missangas ou brancas”.

Para Divine Shape, “são detalhes que vão fazer a diferença”. A jornalista diz que, para além de “uma carteira com um toque vintage, um vestido vintage e uma blusa vintage”, para conjugar com uns jeans, “os acessórios vão ser essenciais”. Em tempos de crise, “fica mais barato comprar um que faça a diferença do que renovar o guarda-roupa” inteiro.

“Sugiro as bandoletes Borboletas na Barriga, as pregadeiras Perdi o fio à Meada, um adorna-pescoços da Maçã de Adão, bijuteria com toque vintage – há imensa na Águas Furtadas –, um relógio original – a Nixon tem peças de perder a cabeça, que não são propriamente baratas, mas fazem parar o trânsito”.

As Fashion Thinkers dizem que há ordem para usar “calças largas, blusas largas, saias às pregas e camisas por dentro das saias”. Tudo conjugado com “golas, brincos vintage e relógios dourados vintage“.

Quando a peças-chave, Joana e Sara elegem uma “blusa larga de seda, acetinada lisa ou floriada, com ou sem gola, estilo pijama”, os “blazers compridos de pontas bicudas” e os “kimonos”.

As sabrinas Merilyn da Pretty Ballerinas custam 175 euros. Foto: DR

Materiais e formas

Nos desfiles que anteciparam a moda desta Primavera/Verão, viram-se, por exemplo, casacos em PVC – uma tendência a juntar à das transparências –, mas “a novidade irresistível são as aplicações de flores que criam um efeito a 3 dimensões”, aponta Cláudia Ribeiro.

Nos pés, as formas nunca foram mais democráticas: os sapatos e as sandálias usam-se em salto agulha, cunha ou rasos. “A novidade são os botins de cunha e pep toe, em seda ou couro”, sublinha a consultora de imagem do Dolce Vita Porto.

Colares, pulseiras e brincos querem-se em tamanho XXL e os óculos de massa e em tons coloridos.

Este artigo foi actualizado às 16h20, com as dicas das Fashion Thinkers Joana Campos Silva e Sara Graça.