31 Out 2012, 18:02

Texto de Maria Martinho

Praça

Guindais “escondem” esplanada com vista privilegiada

,

Fundado em 1976, o Guindalense FC fica no coração da Sé e “esconde” uma esplanada de onde o olhar alcança o rio Douro, o Cais de Gaia e a Serra do Pilar.

O Guindalense Futebol Clube pode ser um clube de bairro e uma colectividade com poucos apoios financeiros, mas orgulha-se de ser dono e senhor de um lugar privilegiado no centro histórico do Porto.

Quem desce as Escadas dos Guindais, bem no coração da Freguesia da Sé, cruza-se com o número 43, a sede deste clube fundado em 1976, cujo maior atractivo é a esplanada. Está a um passo da Ponte D. Luís I, ao lado das muralhas fernandinas e tem uma vista sobre o rio Douro, o Cais de Gaia e a Serra do Pilar que deixa qualquer um sem palavras.

“Antigamente este espaço era do ‘Rosas da Sé’, uma associação de bailes e ranchos folclóricos”, conta à Praça Rui Barros, presidente do Guindalense, que abre diariamente das 10h às 13h e das 14h às 18h.

Em 1976, este clube ocupou e modificou o espaço. À esplanada, acrescentou um pequeno palco, mudou a decoração das salas e instalou uma mesa de bilhar e um pequeno bar na sala maior, um espaço polivalente.

Mais tarde, em 2001, o Porto era Capital Europeia da Cultura e o funicular, que hoje transporta muitos dos turistas que da Batalha acedem a este local, foi finalmente construído. A partir de então, a colectividade passou a ser a única proprietária deste espaço. “Foram-me prometidos espaços maiores e com mais condições, mas nunca quis desfazer-me deste cantinho”, diz Rui Barros orgulhoso.

O clube chegou a integrar várias modalidades, da pesca ao futebol, mas actualmente dedica-se exclusivamente à organização de  eventos culturais. “Desde que o desporto virou um negócio, tornou-se complicado para nós manter a parte desportiva”, lamenta o presidente, que ainda mantém a esperança de um dia poder ter uma equipa a jogar regularmente.

Ao todo, o Guindalense tem 155 sócios que pagam uma cota mensal de 50 cêntimos. “Estamos habituados a do pouco fazer muito”.

Não há tabelas de preços

O espaço do Guindalense não é gerido em função das vendas ou dos lucros. “Não somos um café, um bar ou um restaurante. Somos uma colectividade aberta ao público”, salienta Rui. O Guindalense vive do convívio e da cooperação entre os sócios e os não sócios e procura abranger todas as idades e toda a cidade.

É por isso que não existe uma tabela de preços. Aqui, vende-se um pouco de tudo: francesinhas (6 a 7 euros), bifanas, cachorros, pães com chouriço – “tudo caseiro”, garantem os responsáveis –, vinho a copo, finos (1 euro), café (60 cêntimos) – muitos cafés saem no Guindalense!

Em noites de festa, a ementa pode ser mais elaborada e os preços adaptam-se sempre a cada pedido e a cada situação.
Rui, o presidente, já festejou o baptizado do filho nos Guindais, mas não é preciso ser dirigente para fazer a festa aqui. Há quem peça para alugar o espaço exterior para festas familiares ou de empresas.

Estudantes, os melhores clientes

Definir o público-alvo de um local tipicamente portuense não é tarefa fácil. Por aqui passam todos os dias moradores das redondezas, sócios reformados, os filhos ou netos destes, turistas e muitos estudantes.

O presidente, que há mais de 15 anos está à frente desta colectividade, recorda os estudantes da antiga Universidade Moderna, na altura localizada nos arredores, que vinham para a esplanada estudar e “beber o seu cafézinho ou o seu copo ao fim do dia”.

Esta era uma espécie de “segunda casa” para eles e hoje formados, casados e com filhos continuam a frequentar o clube.
Actualmente a universidade mais próxima é a Lusófona e a história repete-se.

“Este elo entre os estudantes e os sócios do clube é também um elo entre diferentes gerações que faz esta casa tão especial”.

Os turistas encontram aqui o miradouro ideal. “Muitos não consomem nada, entram, tiram fotografias, vão à casa de banho e saem”. Outros sentam-se e consomem. Sempre que visitam o Porto fazem questão de dar “aqui um saltinho” e alguns já marcaram mesa para a noite de S. João com pelo menos 2 meses de antecedência.

Actividades durante todo o ano

Para além do bilhar, do dominó, das cartas, das damas e dos matrecos, são muitas e variadas as actividades que o clube organiza. A mais antiga chama-se “Serenata ao Douro”, tem cerca de 23 anos de vida e é uma marca registada.

Bailes, concertos de música portuguesa ao vivo, churrascos, sardinhadas, noites populares, galas de fados e o cortejo de carnaval, são alguns exemplos.

Em Janeiro, a noite de passagem de ano, em Junho, a noite de S. João e o jantar de aniversário do clube, em Março, são noites onde se registam as maiores enchentes. “A esplanada tem cerca de 100 lugares sentados mas na noite de S. João perdemos a conta. Aqui vê-se muito bem o fogo-de-artifício e estamos literalmente em cima do acontecimento”, conta Rui. “Entra quem quiser e paga apenas o que consome”, refere o responsável, sublinhando que a entrada é livre.

A próxima festa será o Magusto de S. Martinho, no dia 10 de Novembro à tarde. Rui Barros deixa o convite e garante que “animação musical, castanhas e vinho não vão faltar”.

No futuro esta colectividade gostaria de ter mais apoio da Junta de Freguesia da Sé e da Câmara do Porto, pois no que toca a licenças, Rui garante só receber as autorizações necessárias para a realização de noites temáticas no próprio dia, o que o impede de programar as coisas com tempo e como gostaria.

  1. Gabriela Branco says:

    Só um comentário: a Universidade que se localizava nas proximidades, há 15 anos atrás, não era a Universidade Independente, mas sim a Universidade Moderna. Esta universidade foi “substituída” pela actual Universidade Lusófona. Frequentei e licenciei-me nessa universidade, pelo que tenho conhecimento do que afirmo.

  2. Pedro Rios says:

    Cara Gabriela Branco,

    Obrigado pela chamada de atenção. O erro foi corrigido.

    Pedro Rios/Porto24

    • Sandra R says:

      E os alunos do I.S.C.A.P. tambem eram visita frequente dessa esplanada, enquanto este funcionou na Rua de Entre Paredes e na Rua Alexandre Herculano simultaneamente :-)

      Sandra R