16 Nov 2013, 15:37

Texto de Rafael Ferreira

Praça

Fora d’Espaço: Uma montra mais central pela quadra natalícia

,

A Fora d’Espaço, no Passeio dos Clérigos, acolhe, até 25 de Dezembro, a Águas Furtadas, a Rota do Chá, a The Yelllow Boat, a ARTual, a Cork & Co e a Cool Natura.

Fora d'Espaço

A Fora d'Espaço vai estar aberta no Passeio dos Clérigos até ao dia25 de Dezembro. Fotos: Cláudia Silva

Estas lojas já existiam mas tinham localizações mais ou menos ‘escondidas’ noutros sítios do Porto e em 2 outras cidades. Juntaram-se para, durante 40 dias, dinamizarem uma loja temporária no Passeio dos Clérigos.

A Fora d’Espaço é um projecto a pensar no Natal que acolhe, na galeria comercial da baixa – cuja cobertura ajardinada abriu ao público esta sexta-feira –, a Águas Furtadas, a Rota do Chá, a The Yelllow Boat, a ARTual – do Porto –, a Cork & Co – de Lisboa – e a Cool Natura – da Covilhã.

Até dia 25 de Dezembro, estes negócios têm uma montra privilegiada. Maria Antónia Portocarrero, directora-geral da galeria, sublinha, que “os artigos exibidos têm uma grande variedade”.

Durante 40 dias, poderá encontrar nesta pop-up store “produtos e artigos inovadores de decoração, mobiliário, vestuário, acessórios e peças de design exclusivas, propondo assim ao público as mais variadas sugestões de presentes de Natal”, enumera a gestora.

Sónia Oliveira, uma das criadoras da ARTual,  admite que aderiu ao projecto para tornar a sua loja mais conhecida. No seu cantinho na Fora d’Espaço, que a Praça visitou, tem “produtos de Natal que se centram, acima de todo, em artigos de mesa, com o preço a variar entre um e 170 euros, sendo que  neste preço estão os candeeiro e as estantes”, explicou.

Rute Arnóbio, da Águas Furtadas, projecto que surgiu em 2005, diz que só vende produtos portugueses, lote em que se incluem cerâmicas, galos, vários projectos de ilustração e linhas de acessórios de malas. Os preços, afirma, vão desde um euro até aos 600 euros, valor da peça mais cara, uma escultura da ceramista Mané Pupo. Tudo isto é apresentado num ambiente cozy.

Da Covilhã chega o estilista Miguel Gigante, com o projecto Cool Natura | Aldeias Históricas de Portugal. O criador explicou à Praça a vinda para o Porto aconteceu de uma forma repentina.

ARTual na Fora d'Espaço

A ARTual é um dos projectos que nos próximos 40 dias vão ter uma 'montra' mais visível na Fora d'Espaço.

“O convite surgiu nos últimos 15 dias, depois de a dona Maria Portocarrero nos ter visto na Golegã e ter gostado do nosso trabalho”, conta. Segundo Miguel Gigante, todas as peças da Cool Natura são produzidas com o mesmo material. “É materialização de um produto, neste caso, uma linha de vestuário. As peças são construídas a partir da lã e os preços variam entre os 35 euros, por exemplo, para um gorro, e os 200 euros”.  Apesar de já terem um cliente no Porto durante todo o ano, estão abertos a outros desafios do Passeio dos Clérigos, afirma o estilista.

Do Bairro Alto, em Lisboa, vem a Cork & Co, marca criada por Mariana Sarmento e Pedro Lucena. A loja apresenta artigos diferentes em cortiça, originais quer no design quer na criatividade. Não são peças tradicionais, explicou à Praça Pedro Lucena. A Cork & Co tem desde capas em cortiça para iPad, a 22 euros, a capas de iPhone, passando por malas, que podem chegar aos 140 euros e produtos de bijutaria que rondam os 15 euros. Pedro Lucena garante que a Cork & Co está interessada em “vir para o mercado do Porto” com um espaço em nome próprio.

A The Yellow Boat, do empresário e engenheiro mecânico Alberto Van Zeller, apresenta “mobiliário feito a partir de madeira de barco, onde também são misturadas peças de reciclagem”. À venda na Fora d’Espaço, a loja da Foz do Douro tem “bancos, mesas, candeeiros e algumas peças vintage dos anos 60 e 70 que se englobam no mesmo produto”, garante o empresário, explicando que os preços variam entre os 10 e os 670, sendo que o produto mais caro corresponde a um móvel com 6 gavetas.

A Rota do Chá, um dos negócios mais dinâmicos do Quarteirão das Artes, com assinatura de Miguel e Tita Perdigão, leva aos Passeios dos Clérigos um ambiente zen, de descontração, segundo Tita Perdigão, que também explica que a loja tem “marca de chá própria, mas para além do chá também serve refeições”. Actualmente, a Rota do Chá vende cerca de 500 tipos de chás no estabelecimento da Rua Miguel Bombarda, a preços que variam entre os 6 e os 35 euros, por cada 100 gramas. Tita perdigão sublinha, que hoje, na Europa, Portugal é o único país produtor de chá.

Por último, a Grapes Ideas, da Sogrape, marca presença na Fora D’Espaço com vinho do Porto e outros artigos relacionados com vinho.

Durante os próximos 40 dias, ao fim-de-semana haverá espectáculos de jazz gratuitos, reproduzindo temas natalícios, entre as 16h30 e as 18h.

  1. 2013/10/30O presidente do Sindicato dos Estivadores, António Mariano, anunciou hoje em Aveiro a continuação da luta contra os baixos salários nos portos, afirmando que o Governo “pretende despedir todos os estivadores que ganhem mais de 500 euros”, noticia o Sol.