18 Mai 2011, 18:34

Texto de Redação, com Lusa

Praça

Um pulinho até Vila do Conde para ver Vera Mantero

,

Vera Mantero regressa no sábado ao Circular, festival de artes performativas de Vila do Conde, para apresentar em estreia nacional a peça “O que podemos dizer do Pierre”.

Vera ManteroVera Mantero regressa no sábado ao Circular, festival de artes performativas de Vila do Conde, para apresentar em estreia nacional a peça “O que podemos dizer do Pierre”.

A mais recente criação coreográfica de Vera Mantero, que será apresentada pela primeira vez em Portugal, tem concepção e interpretação da artista e banda sonora de Gilles Deleuze (excertos de “Spinosa: Immortalité et Éternité”) e é uma produção da associação O Rumo do Fumo em coprodução com o Festival Escena Contemporanea de Madrid, onde estreou a 29 de Janeiro de 2011.

O espectáculo, que terá lugar no teatro municipal de Vila do Conde, será seguido de uma conversa sobre Gilles Deleuze e uma dança com a participação de António Guerreiro e de Vera Mantero. Tudo bons motivos para rumar a Vila do Conde.

A coreógrafa, que estudou dança clássica e integrou o Ballet Gulbenkian, entre 1984 e 1989, começou a sua careira coreográfica em 1987.  Europa, Argentina, Brasil, Canada, EUA e Singapura já puderam ver o seu trabalho.