Image de Essência do Vinho de volta à Alfândega em fevereiro

Foto: Miguel Oliveira

19 Jan 2018, 18:32

Texto de Redação, com Lusa

Praça

Essência do Vinho de volta à Alfândega em fevereiro

A 15ª edição da Essência do Vinho (EV) vai realizar-se entre 22 e 25 de fevereiro, no Palácio da Bolsa, no Porto, mantendo a aposta na qualidade dos vinhos portugueses, anunciou o diretor do certame, Nuno Pires.

O responsável sublinhou a aposta em “manter a qualidade da apresentação do produto em detrimento do aumento do número de visitantes”, que em 2017 atingiu “os 20 mil, sendo que 30 por cento eram estrangeiros”.

“Quando se iniciou, em 2004, começou por ser um desafio, pois não havia em Portugal este género de conceito, procurando conferir aos vinhos portugueses uma imagem mais atual e mais moderna, tendo-se então conseguido reunir 60 produtores para participar no evento”, recordou o diretor do evento.

De uma iniciativa que “foi um sucesso, ultrapassando todas as expectativas”, o diretor da Essência do Vinho recorda que o certame “beneficiou com a aposta em atividades paralelas a que, de outro de modo, os consumidores não teriam acesso”. Uma delas foi a introdução em Portugal do show cooking, relacionado com o vinho”, através da degustação partilhada de refeições confecionadas por chefs convidados.

Em 2006, acrescentou Nuno Pires, pensou-se em “aproveitar a presença dos principais produtores tradicionais, conjugando-a com a divulgação internacional, através de convites a líderes de opinião e compradores para virem ao evento”.

“Nesse ano, criou-se uma prova vinhos com um júri internacional e foi evidente a sensação de muita procura do evento por parte de estrangeiros”, disse o responsável de uma iniciativa que “também aproveitou o ‘boom’ turístico” no Porto.

Estados Unidos, Rússia, Polónia, Brasil, Coreia do Sul, Espanha, Inglaterra, França e Dinamarca são alguns dos países com presença confirmada de wine experts e importadores no certame de 2018.

Caso a Angola confirme também a presença, “como sucedeu nas edições anteriores”, fica assegurada a representação no evento de países de quatro dos cinco continentes estejam no Porto.

Vinte mil foram os visitantes em 2017, sendo que 30 por cento eram estrangeiros, um registo que, segundo Nuno Pires, “dificilmente será ultrapassado”, dado que a logística se mantém no Palácio da Bolsa, onde a organização quer aproveitar o “cenário mágico” do edifício para fazer aquilo a que se propôs desde o início: “posicionar a imagem de Portugal e dos vinhos portugueses”.

Frisando que a ideia “nunca foi criar um evento elitista”, o responsável explica a criação dos filtros “pela dimensão e curiosidade” que ganhou e pelo facto de a organização querer proporcionar uma “visita confortável e fácil ao nível da prova dos vinhos”.

A organização conta reunir em 2018 “cerca de 3000 vinhos de 400 produtores de todo o país” e anuncia mais uma edição da prova dos “TOP 10 Vinhos Portugueses”, que serão sujeitos a “avaliação por um júri de especialistas de várias nacionalidades”, para a eleição dos 10 melhores vinhos nacionais.

Organizada em parceria com a Associação Comercial do Porto, no campo gastronómico esta edição da EV contará também com ‘chefs’ com estrela Michelin e harmonizações com tapas.