6 Jun 2012, 21:54

Texto de Redação, com Lusa

Comes & Bebes

A cada 19 segundos o Espaço 77 vende uma mini. É o recorde nacional

O número impressiona: 378.230 garrafas de cerveja de 20 cl.. E foram servidas em 2011 apenas por um café do Porto, o Espaço 77. É o recorde nacional.

Espaço 77

Foto: Arquivo

O número impressiona: 378.230 garrafas de cerveja de 20 centilitros – popularmente conhecidas por “minis”. E foram servidas apenas por um café do Porto, o Espaço 77, no furacão da movida nocturna portuense, em 2011. É, segundo disse a Unicer ao café, o recorde nacional.

“Há 3 anos vendíamos uma mini a cada 30 segundos, depois passámos para os 24 segundos e agora estamos a vender uma a cada 19 segundos”, assegura Henrique Rebelo, um dos proprietários do 77, esperançado em aumentar o volume de negócios este ano e conquistar o “tetra” para aquele oásis da cerveja mini.

Uma mini no Espaço 77 custa 50 cêntimos há 6 anos e nunca dá prejuízo, garante Henrique. O preço económico da cerveja é compensado com o dinheiro que faz com os jogos de diversão, como o bilhar ou os matraquilhos.

Os clientes do 77, um café igual a tantos outros que abriu há 35 anos na Travessa de Cedofeita, são 60% estudantes universitários.

“Temos muitos estudantes espanhóis, italianos, polacos, letões. Trabalhamos muito com estudantes estrangeiros, mas também muitos portugueses”, afirma o dono do café, que recorda, romanticamente, que há namoricos que começaram naquele espaço e que brotaram em casamento.

Henrique conta que há estudantes que entram no café às 19h e saem as 3 ou 4 da manhã. “Muitos deles já criaram amizade connosco”.

Cem minis para 4

Gustavo, estudante de Erasmus do Brasil, conta que, numa noite de copos com mais 4 amigos, todos juntos conseguiram beber 100 minis. Esmeralda, estudante de Espanha, admitiu o prazer em beber minis no Espaço 77 não só pelo preço, mas principalmente pela simpatia dos proprietários e empregados, que é aliada aos folhados quentes e aos matraquilhos.

A chave do sucesso para vender números recordes de minis é mesmo o preço, a simpatia da família que explora o café e os folhados e pizas a sair do forno madrugada adentro.

“Começámos com o folhado de chocolate e o misto de queijo e fiambre, agora já temos com carne, vegetais”, recorda Eugénia Rebelo, irmã de Henrique, observando que os folhados saem do forno com tanta afluência como as minis saltam da arca frigorífica industrial.

Ao fim-de-semana é mesmo uma “loucura”, que aumentou nos últimos 3 anos com a chegada de estudantes estrangeiros e turistas à cidade através das companhias aéreas de baixo custo, explica Eugénia, outra das proprietárias.

Recorde é para repetir

Embora o ano só vá a meio, tudo indica que o 77 vai bater o recorde com a ajuda de todos os clientes e do fornecedor de cerveja.

Os dias mais fortes são as quartas-feiras, sextas e sábados.

“A empresa cervejeira Unicer disse-nos, há 3 anos, que éramos o sítio em Portugal que mais minis vendia por ano e depois todos os anos têm trazido um painel com o número de vendas”, diz Eugénia.

Em 2009 foram vendidas 301 mil minis, em 2010 as vendas cresceram para 363.660 e, em 2011, o volume de vendas tornou a aumentar e cifrou-se em 378.230 minis vendidas.