25 Jun 2013, 12:19

Texto de Ana Isabel Pereira

Comes & Bebes

Escolha a carne no mercado, que o chefe confecciona!

, ,

O Bom Sucesso Gourmet aposta num novo conceito gastronómico. No restaurante do Hotel da Música, pode seleccionar produtos frescos gourmet no mercado, que o chefe confecciona-os na hora.

Talho Bom Sucesso

Escolha uma peça de peixe ou carne no mercado e peça ao chefe para confeccionar. Foto: Carlos Romão

“Escolha a sua peça… e leve para a mesa”. O desafio que o Bom Sucesso Gourmet, o restaurante do Hotel da Música, é o que diferencia um projecto que aposta num novo conceito gastronómico de cozinha de autor. A comida fresca à mesa é resultado da selecção de produtos frescos gourmet adquiridos nas bancas do mercado e confeccionados, na hora, pelo chefe Filomeno Nogueira.

O novo restaurante, o único espaço de restauração com lugares sentados no recém-inaugurado Mercado Bom Sucesso, também vale a pena pelos petiscos, pela oferta de qualidade no vinho a copo e pelo afamado presunto de porco ibérico da Cinco Jotas.

O restaurante tem sacos de papel próprios para os clientes irem às compras na zona de frescos do renovado equipamento da zona da Boavista, no Porto, em que o conceito é explicado e são dadas instruções do tipo “Indique ao vendedor que a sua compra vai ser confeccionada no Bom Sucesso Gourmet”. No papel, os comensais podem, inclusivamente, marcar numa checkbox o que compraram – carne ou peixe – e o tipo de confecção que desejam.

“Há uns saquinhos próprios com que as pessoas podem ir ali buscar marisco ou carne e trazer para o chefe confeccionar. Há uma taxa de confecção de 4,5 euros e os acompanhamentos são cobrados à parte”, explicou há dias o presidente da Hoti Hotéis, grupo que detém o Hotel da Música e o restaurante. Num almoço que serviu para apresentar o projecto aos jornalistas, Manuel Proença sublinhou que o cliente ganhará mais quanto mais inteligentes forem as suas compras.

A confecção já inclui os molhos e os acompanhamentos – arroz branco, batata palha frita, espinafres salteados, batata campestre ou legumes grelhados – custam entre um e 2 euros.

O “Cooking do Mercado” é algo inovador mas a carta do Bom Sucesso Gourmet não fica por aqui. Nos pratos principais, que rondam em média os 12 euros, destacamos o folhado de pato com legumes grelhados, o solomillo de porco preto com migas de broa e grelos, as pataniscas com arroz cremoso de espargos ou o polvo assado com batata a murro e grelos – no peixe, e à carta, há também a possibilidade de pedir o “peixe do dia/mercado”.

Depois, há ainda vários queijos e enchidos – para além do presunto, há chouriço, salsichão e morcela ibéricos –, saladas – prove a de salmão fumado ou a de maçã verde com queijo da Ilha e molho de iogurte –, sanduíches – incluindo uma de tofu fumado – e opções vegetarianas como, por exemplo, os legumes à Brás com molho de azeitonas.

O crumble de maçã morno com gelado de baunilha e o mil-folhas de mascarpone com molho de citrinos são 2 das sobremesas, que fazem crescer água na boca e aparecem na carta sempre acompanhadas por uma sugestão de digestivo, seja um Moscatel, um Porto ou um Late Harvest.

Gourmet democrático

O restaurante”tem funcionamento autónomo” do 4 estrelas “e pretende ter preços acessíveis”, sublinhou, aquando da inauguração, Manuel Proença.

Esse esforço para ter preços mais democráticos é visível, por exemplo, no preçário do vinho a copo – o restaurante tem daquelas máquinas self-service onde pode servir-se de várias medidas diferentes e “um acordo com a Sogrape” –, a partir de um euro,  e no menu do dia – por 8,5 euros, de segunda a sexta, ao almoço, tem direito a prato principal, sopa, sobremesa e café.

Para além da Sogrape, a Hoti tem “uma parceria com a Cinco Jotas, uma grande rede de restauração em Espanha”, que lhe permitiu montar no Bom Sucesso Gourmet “um balcão especial de presunto”. “Vão servir-se aqui os presuntos deles mas também vamos ter à entrada uma lojinha onde poderão ser adquiridos”, avançou o gestor aos jornalistas.

O Bom Sucesso Gourmet funciona no horário do mercado, ou seja, entre as 9h e as 23h de domingo a quarta-feira e até uma hora mais tarde nos restantes dias da semana.

  1. “Há uns saquinhos próprios com que as pessoas podem ir ali buscar marisco ou carne e trazer para o chefe confeccionar. Há uma taxa de confecção de 4,5 euros e os acompanhamentos são cobrados à parte”, explicou há dias o presidente da Hoti Hotéis, grupo que detém o Hotel da Música e o restaurante. Num almoço que serviu para apresentar o projecto aos jornalistas, Manuel Proença sublinhou que o cliente ganhará mais quanto mais inteligentes forem as suas compras.

  2. Eu sei disso. Meus amigos dizem isso também. Muitos, às vezes, não conseguem inaugurar outra casa por falta de mão de obra. Mas, eles não despertaram ainda que a mão de obra deve ser treinada na própria casa. Acho que só consegue tocar bem um restaurante quem é chef e dono do negócio. Se o dono do restaurante não conhecer muito de cozinha, fica na mão do chef e dos cozinheiros. Esse é o grande segredo do sucesso para quem vai trabalhar nesta área: saber exatamente o que está fazendo.