20 Out 2012, 16:31

Texto de Maria Martinho

Praça

Conversas e petiscos em S. Lázaro, mesmo ao domingo

, ,

Num prédio degradado e quase esquecido, abriu um café-galeria, o Duas de Letra. Um sopro de novidade no Passeio de S. Lázaro.

Duas de Letra

Foto: Miguel Oliveira

Num prédio degradado e quase esquecido, abriu um café-galeria, o Duas de Letra, um sopro de novidade no Passeio de S. Lázaro, no Porto.

A típica expressão portuense foi o mote da aventura de João Carvalho, Inês Coutinho e Miguel Borges, que é como quem diz, um licenciado em História, uma licenciada em Belas Artes e um experiente em hotelaria.

“A ideia foi criar um sítio a que gostássemos de ir como clientes”, confessa João.

Depois de 6 meses entre obras, licenças e burocracias, foi em Maio que abriram portas a um espaço com 5 zonas diferentes: um rés-do-chão com mesas e cadeiras restauradas, um espaço ao ar livre, um jardim de Inverno, mesas no primeiro andar, com uma vista privilegiada para o Jardim de S. Lázaro, e uma sala polivalente, onde se realizam concertos, exposições, palestras, projecções de filmes e workshops.

Em cada mesa há um pequeno cesto com “legos” coloridos para miúdos e graúdos se entreterem enquanto conversam e petiscam. E por aqui o que não falta é petiscos.

A casa aposta no comércio local, pois “permite uma renovação de stock diário”. O forte são as refeições ligeiras com paladares regionais a um preço justo. João Carvalho: “os menus são caseiros e honestos”.

No balcão, literalmente forrado com portas de madeira antigas, encontram-se conservas de sardinha, cavala, bacalhau, polvo e lulas, e ainda boiões de vidro com bolachas caseiras, que acompanham o café por um euro.

Para além dos produtos tradicionais de cafetaria, como pastéis de nata ou croissants folhados, pode também optar por hambúrgueres de carne barrosã servidos em pão regional com pimento, mostarda e queijo, ou pães montados de salmão, presunto e tomate.

A limonada e a groselha custam 50 cêntimos. Se vier acompanhado, “2 finos e uma tábua de queijos para 2 pessoas ficam por volta dos 5 euros”.

“Sem presunção”

Duas de Letra

Foto: Miguel Oliveira

Os 3 amigos afirmam que foram “bem recebidos pelos vizinhos comerciantes” e já os têm como clientes.

Pretendem “marcar a diferença, mas sem presunção nenhuma”, salienta João.

Com este projecto criaram 3 postos de trabalho e garantem que cada sócio faz um pouco de tudo, “das limpezas à programação”.

Têm a particularidade de estar abertos aos domingos, e, por isso, podem “colmatar uma falha grave da cidade”, contrariando o “deserto” neste dia da semana.

Às sextas e sábados prolongam até às 2h o horário habitual (das 10h às 20h).

Até Novembro, a programação do espaço já está definida – é só consultar o Facebook do Duas de Letra.