22 Nov 2011, 14:55

Texto de Redação, com Lusa

Praça

Desenhos de artistas plásticos pelos 100 anos da Viarco

, ,

A última fábrica de lápis da Península Ibérica produziu 10 que passaram de mão em mão por vários criadores portugueses. O resultado é uma exposição única, para ver na biblioteca Almeida Garrett até 31 de Dezembro.

Desenhos a lápis feitos por 100 autores contemporâneos nacionais vão estar em exposição a partir de sábado, na Biblioteca Municipal Almeida Garrett, no Porto, numa mostra que surgiu para comemorar o 100.º aniversário da fábrica Viarco.

A última fábrica de lápis da Península Ibérica teve a ideia de produzir 10 lápis que funcionariam como testemunho a passar entre artistas, tal e qual como nas provas de estafetas, seleccionando para o efeito 10 artistas iniciais: Siza Vieira, Paula Rego, Pedro Cabrita Reis, Joana Vasconcelos, Miguel Vieira, Baltazar Torres, António Antunes, Manuel Graça Dias, Rui Chafes e Julião Sarmento.

A cada um deles caberia convidar outro artista que lhe fosse próximo e assim sucessivamente, até chegar ao número 100.

Unindo várias gerações, o percurso dos lápis havia de juntar o talento de outros artistas como Ana Pérez-Quiroga, Ana Vidigal, Fabrízio Matos, Jorge Abade, Albuquerque Mendes, Gerardo Burmester, António Olaio, Fátima Mendonça, João Pedro Vale ou Ângelo de Sousa.

A exposição, intitulada “1 século – 10 lápis – 100 desenhos”, deverá permanecer na Biblioteca Municipal Almeida Garrett até 31 de Dezembro e resulta de uma parceria entre a Viarco, a Associação Saco Azul e os Maus Hábitos, tendo já passado pelo Museu da Presidência e pela Torre da Oliva, em São João da Madeira.

Segundo o comunicado enviado à imprensa, a mostra acaba por tecer “um enredo de relacionamentos que toca diversas disciplinas que constituem o panorama artístico português”: do desenho à arquitectura, da escultura à instalação, da literatura ao audiovisual, da caricatura à fotografia.

“O ecletismo dos trabalhos é também reflexo de uma rede transgeracional, que une autores consagrados a jovens que iniciam agora o seu percurso artístico”, refere ainda o comunicado.

Como programação paralela à exposição, irão decorrer oficinas para crianças sob o nome de “Lápis Tecnologia de Ponta”, em colaboração com o serviço educativo da Almeida Garrett e que se inserem nas actividades da Escola de Criatividade da Associação Saco Azul: “Quem conta um conto acrescenta… e ponto”, “Manual”, “Queres que te faça um desenho?”, “Vers[o]atil” e “Desenhos Verbais – Homenagem a Manuel de Barros”.