Image de Conhecer uma movida “pura e autêntica” e sem preços de turista

Fotos: DR

Imagem de Conhecer uma movida “pura e autêntica” e sem preços de turista
Imagem de Conhecer uma movida “pura e autêntica” e sem preços de turista

28 Abr 2016, 17:38

Texto de Simão Freitas

Praça

Conhecer uma movida “pura e autêntica” e sem preços de turista

, , , , ,

O conceito de pub crawl ainda é relativamente desconhecido em Portugal, mas há quem o pratique e leve os turistas a conhecer “outro lado do Porto”. Na 090 Pub Crawl, muitas vezes os clientes tornam-se amigos.

Num pub crawl, os participantes pagam um valor fixo antes de começarem e passam depois por uma série de bares, aproveitando o melhor de cada um deles e o que tem para oferecer antes de terminarem a noite numa discoteca.

No Porto, o 090 Pub Crawl leva os interessados por uma série de bares que passam “o verdadeiro espírito da movida portuense” numa noite que só termina a altas horas da madrugada, sempre no Plano B. Este é, aliás, o único sítio que pode ser conhecido. Os bares por onde as visitas passam estão no segredo dos deuses para manter a mística da participação. Ainda assim, é assegurado que os preços não são “de turista”, com muitas promoções e bebidas a preços muito baixos, como os shots a 50 cêntimos. Além das visitas aos bares, há muita conversa e jogos pelo meio, que até podem levar a vantagens mais para a frente. Mas já lá vamos.

O projeto começou há pouco mais de um ano. “Eu e mais dois dos membros do projeto viajamos em interrail e encontrámos o conceito. Reparei que faltava no Porto, e que aproveitando o boom turístico do Porto podíamos ajudar a dinamizar a vida noturna da cidade”, explica o fundador do 090 Pub Crawl, que explicou o conceito ao Porto24, bem como as principais vantagens.

Como bons estudantes portuenses que são, quiseram transmitir “o que é a movida do Porto e mostrar aos turistas e curiosos o roteiro de uma noite ideal no Porto”.

Turistas e curiosos, porque já passaram pelas atividades pessoas de todo o mundo. Incluindo do Porto, curiosos de saber se tinham deixado alguma coisa por fazer.

Era fácil levar os turistas às galerias”

Para participar, cada participante paga 10 euros, um valor que inclui quatro bebidas, uma em cada um dos bares visitados, além da entrada no Plano B, onde termina o roteiro, que dura cerca de três horas e atravessa bares menos ‘famosos’ na Internet e na divulgação típica da cidade mas que, segundo os criadores da ideia, fazem parte da Invicta e da vida noturna da cidade.

“Com o pub crawl queremos que os participantes se sintam imergidos em espaços que não encontram na Internet, por serem puros, autênticos. Depois, saem a sentir que conheceram a noite do Porto e não o lado mais comercial, até porque também são acolhidos e servidos de outra forma nos bares”, atira Luís Peixoto, que considera que “seria fácil levar turistas às galerias”, mas que “a movida não se faz só desse lado”.

Ainda assim, alerta o homem por detrás da ideia, a atividade “não é normalmente muito frequentada por faixas etárias mais elevadas”, mesmo que já tenham tido, até, clientes com mais de 50 anos, que, garantem os promotores, “gostaram muito, por ser diferente”.

Atualmente, estão na equipa entre seis a sete pessoas, contando com os fundadores. O tratamento que os guias dão aos turistas “é fundamental”. “Um bom guia, que saiba conversar, que saiba integrar, faz toda a diferença numa atividade destas. E muitas vezes até se travam amizades com os clientes”, conta o fundador, de 21 anos, estudante na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP).

Por agora, as reservas por grupos podem ser feitas pelo site e por e-mail, onde até podem conseguir verbas especiais, dependendo do tamanho do grupo. “Também fazemos muitas reservas usando a aplicação WhatsApp, um meio muito forte lá fora”, conta Luís Peixoto.