9 Out 2012, 10:51

Texto de Ana Isabel Pereira

Comes & Bebes

Compotas feitas com fruta acabadinha de colher do quintal

Os doces e compotas da Casa dos Avós são feitos com a fruta do quintal dos Queirós. A família resolveu aproveitar as árvores de fruto que tinha e criou um novo negócio. Também há bolos.

Bolo da Casa dos Avós

Os doces e compotas da Casa dos Avós são feitos com a fruta do quintal da família Queirós, em Perosinho, Gaia. A produção não leva químicos, a fruta está lá desde sempre e as compotas são sazonais, o que quer dizer que em cada estação há compotas da fruta da época.

A Casa dos Avós “existe mesmo”, como faz questão de dizer logo à Praça Olímpia Queirós. A casa e o terreno com 1000 metros quadrados eram dos pais de Olímpia, que há cerca de um ano começou a aproveitar a fruta excedente e a vendê-a a restaurantes.

Licenciada em Ciências da Educação, formadora em Arte Floral e terapeuta de reiki, Olímpia viu, aos 49 anos, o volume de trabalho diminuir  e, em Agosto, as filhas Teresa e Isabel, de 27 e 24 anos, desafiaram-na a levar o aproveitamento da terra mais longe e assim nasceu a produção de doces e compotas de fruta e de bolos.

“A minha filha Teresa disse-me ‘vamos colocar as tuas compotas no Facebook’ e eu disse ‘vamos'”, recorda Olímpia, que até agora fazia doces para consumo da família.

Ao lado das árvores mais antigas, a família plantou novas espécies e hoje tem laranjeiras, ameixoeiras, pereiras, macieiras, um marmeleiro, uma romãzeira e arbustos de fisálias. “O que não temos, compramos a produtores locais”, explica Olímpia, sublinhando que o projecto é “um trabalho de equipa”.

Os frasquinhos de compota custam 2, 2,5 e 3.5 euros (200, 250 e 350 gramas, respectivamente) – os doces que levam noz custam sempre mais 50 cêntimos.

Também fazem bolos

À boleia dos doces e compotas, Olímpia, Teresa e Isabel também fazem bolos. A Praça provou, durante a apresentação do projecto n’A Vindimeira, o bolo de chocolate, que as empreendedoras baptizaram de “Doce da Casa dos Avós”, e o pão-de-ló, o húmido e o seco, e pode atestar a qualidade destas iguarias doces. A Casa dos Avós também faz bolo de nós com maçã e vinho do Porto, pudim de laranja e tartes com a fruta do tal terreno. Os preços andam entre os 10 e os 15 euros (caso do bolo de chocolate).

“É tudo feito à mão”, garante, e a ideia do projecto é “transformar” aquilo que a natureza oferece e “mudar hábitos de vida”, reavivando “tradições perdidas na azáfama do dia-a-dia”.

“Desde pequenas que as minhas filhas me fazem um bolo pelos meus anos. Iam buscar as receitas das avós”

Os doces da Casa dos Avós são vendidos por encomenda (através do email casa.dos.avos1@gmail.com) e, para já, n’A Vindimeira (Rua das Taipas, 8). Também é provável que encontre Olímpia e as filhas no próximo Urban Market ou n’O Mercado, mercados urbanos por onde já passaram, ou noutros eventos do género.