3 Out 2012, 20:26

Texto de Pedro Rios

Comes & Bebes

Bolas da Praia. Para comer sem se levantar da cadeira

E se lhe entregassem, em casa ou no local de trabalho, uma bola de Berlim? É o que faz a Bolas da Praia, um novo serviço nascido no Porto.

Bolas da Praia

Provámos as Bolas da Praia na nossa redacção. E gostámos

E se lhe entregassem, em casa ou no local de trabalho, uma bola de Berlim? E se, para cúmulo dos prazeres, ela fosse fofa, fofíssima, sem creme, delicadíssima no palato? É o que faz a Bolas da Praia, um novo serviço nascido no Porto.

Preferem que a atenção vá para as bolas de Berlim e, por isso, os elementos do projecto pedem para ficar no anonimato.

Corria o mês de Abril quando tiveram a epifania: as clássicas bolas de Berlim vendidas na praia são uma memória de muitos portugueses e  “toda a gente gosta” destes bolos. “Por que não vendê-las?”, pensaram.

Equacionaram abrir um serviço de distribuição nas praias de Matosinhos, mas esbarraram na legislação e na burocracia. Da limitação fizeram uma força: decidiram que iam levar as bolas a empresas e eventos, durante todo o ano.

Começaram a fazê-lo, em empresas, a título experimental, em Julho. Agora, querem começar a vender regularmente, só para grupos de pessoas (gulosos solitários: esqueçam).

Cada bola de Berlim custa 1 euro, um preço que já engloba as despesas de transporte. As encomendas fazem-se através do Facebook do Bolas da Praia.

Sem creme

Os elementos da equipa estão satisfeitos com as reacções. “As pessoas adoram as bolas”, garantem.

Fornecidas por especialistas na matéria, têm uma diferença óbvia face às bolas típicas das pastelarias portuenses: não têm creme.

Não queríamos as bolas secas e massudas. [Estas] São menos enjoativas“. E, para os fanáticos das calorias, a ausência de creme “reduz a culpa”. A redacção da Praça recebeu a visita das Bolas da Praia e pode elogiar o sabor das mesmas.

Agora, estão a tentar estabelecer parcerias com entidades conhecidas da cidade, que também querem manter secretas, e espalhar a mensagem no mundo empresarial — gostavam que as empresas instituíssem o Dia da Bola de Berlim nas suas rotinas.

Ainda não há um ponto de venda directa, mas ele pode surgir em breve, na baixa do Porto.

  1. Ana Novais says:

    O seu comentário
    Gostaria de encomendar as BOLAS DE PRAIA mas não tenho Facebook nem pretendo ter. Como encomendo, então?
    Cumprimentos,
    Ana Novais

  2. Nuno Rocha says:

    Bolas da praia são umas delicadas iguarias que só podem ter caido da mesa de banquete de um qualquer deus da gula.
    São absolutamente sublimes!

  3. Rui Magalhães says:

    Ninguém responde à Ana Novais que tal como eu não tem facebook?
    Vá lá…. Não têm uma alternativa?
    Rui Magalhães

  4. Nuno Tomaz says:

    O grande problema das empresas em Portugal é que muitas vezes as ideias e os produtos são bons mas depois não têm pessoas à altura para acompanhar. Parece-me que é o caso das bolas da praia pois não só partem do principio que toda a gente tem Facebook como demonstram uma falta de profissionalismo incrivel ao recusarem uma entrega ao domicilio. Enfim, são os empresários que temos. Esperemos que não venha concorrência senão…

  5. Ana Narciso says:

    Concordo absolutamente com o Nuno,
    Também me recusaram uma entrega. Fiquei tão triste, que fui para a cozinha fazer bolas da praia. Surpresa das surpresas, ficaram óptimas.
    Fica o conselho, mudem de atitude, ou perdem clientes

  6. antonio moura says:

    bola de berlim só com creme artesanal, não aquele industrial, para quem GOSTAR MESMO DE BOLAS DE BERLIM as melhoes
    estão numa confeitaria situada em FRANCELOS, na saida da estrada PORTO/ESPINHO e aproveitem os pastéis de nata que
    são FABULOSAS