12 Jan 2012, 21:25

Texto de Redação

Praça

O bigode português está bem e recomenda-se

Quem aparecer na Avenida dos Aliados, este sábado, vai ver bigodes (falsos ou verdadeiros), de todas as cores e feitios. Culpa de 4 estudantes da FBAUP.

Bigoda-te

As 4 responsáveis pelo Bigoda-te

“O bigode português não está bem”, dizia o candidato à presidência da Associação Portuguesa do Bigode, num sketch de Ricardo Araújo Pereira e Zé Diogo Quintela. Mas quem aparecer na Avenida dos Aliados, no Porto, este sábado, a partir das 15h, vai ver bigodes (falsos ou verdadeiros), de todas as cores e feitios.

É uma flash mob que é também parte de um exercício académico de 4 estudantes da Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, todas do primeiro ano do curso de Artes Plásticas.

Numa disciplina, decidiram olhar para o coolhunting (actividade dos caça-tendências). E concluíram que o “bigode está a surgir” numa nova geração, depois de uma travessia no deserto, diz Benedita Santos à Praça.

Em vez de fazerem um estudo teórico sobre isso, decidiram demonstrá-lo com uma acção pública (chamaram-lhe “Bigoda-te“), onde será eleito o bigode mais original.

Puseram mãos à obra e espalharam pelas ruas do Porto cartazes a anunciar a acção, com bigodes prontos a serem retirados e usados.

Centena e meia de pessoas já disseram que vão participar, mas, nestas coisas, só no próprio dia se saberá. Mas “o próprio processo” de montar o evento “foi interessante”, diz Maria Marques. Benedita acrescenta: “Andámos no metro com os bigodes. As pessoas ficam a olhar intensamente”.

  1. Graça Ribeiro says:

    Acho que todos devemos aderir, nos dias de hoje em que tanto se defende o Produto Nacional, mais genuino que o Bigode Português não existe.
    Parabéns pela ideia original.

  2. Fernando Santos says:

    eu bigodo-me
    tu bigodas-te
    ele bigoda-se
    nos bigodamo-nos
    vos bigodais-te
    eles bigodam-se

    é só bigodes