13 Out 2011, 16:17

Texto de Redação, com Lusa

Praça

Até domingo o Porto é uma cidade “tramada”

, ,

A 6ª edição do Trama – Festival de Artes Performativas oferece à cidade 37 projectos, que são apresentados por 92 artistas de 18 nacionalidades. O arranque da “festa” tem o Ateneu Comercial do Porto como epicentro.

Se a partir desta quinta-feira for surpreendido na rua por um DJ que usa um carrinho com um gramofones e discos de 78 rotações, se vir o Ateneu iluminado por lazer, se ouvir sons esquisitos na praça D. João I, não estranhe. É que o Trama – Festival de Artes Performativas volta a oferecer à cidade um fim-de-semana prolongado de artes performativas que.

Na 6ª edição do festival organizado por Serralves, o objectivo era que “o Porto fosse uma cidade ‘tramada’ todos os dias”. Quem o diz é João Fernandes, director do Museu.

Jeroen Diepenmaat

Jeroen Diepenmaat é um dos artistas que vêm à 6ª edição do Trama. Foto: DR

O arranque do Trama tem o Ateneu Comercial do Porto como epicentro. As suecas WOL trazem a sua actuação às 22h ao que se segue a música de Robin Fox, com a sua “Laser Performance” e o DJ de discos de 78 rotações, Jeroen Diepenmaat, com “Radio 78”.

Tudo no Ateneu Comercial, um dos espaços em que o Trama vai apresentar arte contemporânea a que se juntarão até domingo, o Passos Manuel, a estação de São Bento, a Praça D. João I, o Estúdio Zero, o bar panorâmico do Hotel D. Henrique, entre outros locais da cidade.

Um dos personagens da edição deste festival de artes performativas organizado por Serralves, Brr_Live Art e Matéria Prima, é o Repórter X, o mítico jornalista e escritor Reinaldo Ferreira que explorou no Porto mais uma das suas facetas, a de realizador, sendo dos últimos a filmar nos estúdios da Invicta.

Os seus filmes “Rita ou Rito” e “Táxi 9297” serão exibidos no Passos Manuel bem como o filme “Repórter X”, de 1985, este com a presença do realizador José Nascimento.

Susana Mendes Silva é a responsável por este núcleo dedicado ao autor de “Memórias de um ex-morfinómano” que inclui ainda um passeio com performance ao Porto do Repórter X.

Mas este é só uma parte dos 37 projectos a ser apresentados por 92 artistas de 18 nacionalidades que compõem a edição deste ano. Da Austrália, por exemplo, vem Lucas Abela, que apresenta uma instalação para a qual Serralves fez uma recolha de discos de vinil junto da população, para construir uma pista de corridas.

Os despiques estão marcados a partir de sexta-feira nos armazéns da estação de São Bento, num “Vinyl Rally“, em que todos os que quiserem poderão controlar carros telecomandados que percorrem uma pista de vinis, cada um deles com uma agulha que recolhe sons na superfície dos discos. Cada carro tem uma câmara que transmite imagens para uma consolada de jogos à moda antiga.

Pela cidade, vão decorrer as 4 performances do artista plástico Paulo Mendes, de uma série iniciada em 2007 sob o título “S de Saudade”, que gira em torno do “apagamento da memória que existe em Portugal sobre um período político [o Estado Novo] que é importantíssimo, o que leva a que a sociedade não se confronta devidamente com essa memória e não exorcizar de uma vez por todas esses fantasmas”, afirmou o artista.

As performances serão apresentadas no coreto do jardim da Cordoaria, na antiga sede da PIDE (hoje Museu Militar), numa montra da livraria Latina e numa loja desactivada da rua Cândido dos Reis.

O Trama tem uma preocupação de relação das comunidades artísticas locais com os convidados de Serralves, daí que estejam previstas conferências e workshops para Belas-Artes e para a Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo, bem como a participação de estudantes em algumas das actividades artísticas.

A já habitual festa de encerramento do Trama é no Museu de Serralves, onde vão estar o holandês Jeroen Diepenmaat, aka Radio 78, projecto de turntablism com grafonolas (no bar, 22h); The Queens and The Rebel, com o seu som disco-sound espacial, pop futurista, no wave e cabaré (hall, 24h30); e as meninas da festa mistério do Passos Manuel (hall, 2h30). A entrada custa 5 euros.