22 Nov 2011, 20:20

Texto de Ana Isabel Pereira

Comes & Bebes

Aprenda os segredos da cozinha com Marco Gomes

O chefe e dono do Foz Velha cumpre uma “velha aspiração” ao inaugurar a sua Academia de Formação. O projecto inclui cursos de culinária e vinhos para adultos, workshops para crianças e jantares privados com direito a show cooking do próprio.

Marco Gomes

Fotos: Ana Isabel Pereira

E se pudesse ter lições (quase particulares) com um chefe de cozinha famoso e ainda por cima sugerir o “departamento” em que tem mais dificuldade – sejam os assados, as pastas ou os risottos? Melhor: e se pudesse vê-lo a cozinhar para si enquanto janta na sala ao lado com um grupo restrito de amigos como se estivesse em sua casa?

O chefe Marco Gomes inaugurou na Foz do Douro, no rés-do-chão do edifício do seu restaurante, o Foz Velha, a sua própria escola. A Academia de Formação já está a funcionar e tem 4 vertentes: cursos de culinária, cursos de vinho, workshops didácticos para os mais novos e jantares privados com o chefe a cozinhar ao vivo e a 2 metros dos comensais.

“A Academia de Formação era um projecto que eu já tinha há algum tempo”, explicou à Praça o transmontano, que já está habituado a ensinar – Marco Gomes é formador na Escola de Hotelaria e Turismo do Porto e num externato em Lousada, que tem cursos de cozinha.

Para além do chefe – “os petisquinhos portugueses são a minha praia” –, Luís Américo (Mesa) e António Vieira (Shis) são alguns dos colegas convidados para dar estes cursos, cujos temas irão da “cozinha vegetariana” aos “risottos”, passando pelo “sushi”, e poderão mesmo surgir “a pedido” de um grupo interessado.

Os chefes vão desvendar os segredos para confeccionar iguarias ao balcão de uma cozinha sofisticada mas que “tem tudo o que também há em casa”, sublinha Marco Gomes. Os alunos trabalham à volta da “ilha” e no final (pelo meio também!) provam o resultado.

O próximo curso de culinária, com Marco Gomes, é dia 1 de Dezembro, às 20h, e já tem tema: “O Melhor dos Cogumelos”. A inscrição custa 55 euros.

José Silva é parceiro do chefe nesta aventura e responsável pelos cursos de vinho. “Os cursos foram pensados para pessoas que apreciam vinho mas não têm cultura de  vinho”, disse à Praça o responsável pelo guia de restaurantes Netmenu. José Silva fala “do vinho português, da viticultura, da revolução que aconteceu nos últimos anos” e da importância que o vinho nacional tem vindo a granjear “lá fora e, pelo meio, vai contando histórias e peripécias relacionadas com esta área.

Os cursos são de iniciação à prova, mas vão abordando diferentes temas, dos espumantes aos vinhos do Dão, passando pelos vinhos licorosos. A próxima lição é sobre espumantes, dia 10 de Dezembro, a partir das 17h.

A ideia é que esta seja “uma academia aberta” a outros chefes de cozinha e qualquer entidade que tenha interesse em alugar as 2 salas para, por exemplo, apresentar um produto novo.

Petiz também entra

Os cursos para os mais novos funcionam ao sábado, das 10h às 13h. A oferta “é uma forma de os pais poderem ler o seu jornal e tomar café sossegados, deixando as crianças num espaço didáctico”, explica Marco Gomes. Nesses dias, a elegante mesa dará lugar a pequenas mesas coloridas e a outras brincadeiras e haverá puffs espalhados pelo espaço.

“Vamos fazer o que eles mais gostam.Vamos sujar muito as mãos, à volta do chocolate e das bolachinhas”, revela o chefe, acrescentando que estes workshops terão também uma missão pedagógica. Já sabe, se os seus diabretes são como todos os outros e dizem que não gostam de legumes, deixe-os ao cargo da Academia.

Os cursos para crianças custam 7,5 euros à hora e os outros custam entre 50 e 60, com 2h30 a 3h de duração. Os temas dos cursos de culinária e de vinhos vão sendo divulgados no site e no Facebook – os primeiros deverão acontecer uma vez por semana e os segundos de 15 em 15 dias.

À volta do chefe

“Vou chamar-lhe ‘Jantares à volta do chefe’. Basicamente, estamos aqui para matar saudades de alguma coisa especial que apeteça aos clientes”, explica Marco Gomes.

“Há muitos restaurantes com salas privadas, mas uma sala fora do restaurante não existia”, enfatiza.

O preço, a marcação e a ementa dos jantares privados são combinados “sempre por consulta”. Para os jantares, quer para os cursos, a capacidade é de 16 pessoas – nos cursos, o número mínimo de inscrições é 8.

Há ano e meio, Marco Gomes adquiriu o imóvel onde o Foz Velha nasceu há quase 9 anos, mas tinha 2 salas do rés-do-chão, outrora divisões comuns de uma casa residencial de família, vazias. Recentemente, resolveu recuperar o projecto da Academia de Formação que tem tanto tempo quanto a marca Marco Gomes, lançada precisamente há ano e meio. As obras demoraram “quase 3 meses” e preservaram os belíssimos tectos de estuque, o soalho e as portadas de madeira. O espaço é também a evolução natural da loja online da marca criada pelo chefe.