15 Nov 2013, 20:20

Texto de Rafael Ferreira

Comes & Bebes

A Dama Pé de Cabra promove o regresso dos produtos regionais

, ,

Com o nome de uma conhecida lenda portuguesa, o mais recente negócio do Passeio de São Lázaro é uma mercearia especializada em produtos regionais que também funcionará bar.

Dama Pé de Cabra

Fotos: Cláudia Silva

Ricardo e Fernanda Santos queriam montar um negócio que privilegiasse os encantos regionais da aldeia e abriram, há meia dúzia de dias, a Dama Pé de Cabra. Com o nome de uma conhecida lenda portuguesa, o número 5 do Passeio de São Lázaro, no Porto, é agora uma merciaria especializada que também funcionará bar e receberá provas e outros eventos ligados aos vinhos e aos produtos regionais.

O gosto pela tradição e pelo que é regional vem desde há muito tempo, contou Ricardo Santos à Praça. “Sempre estivemos ligados à região, à aldeia e aos sabores tradicionais. Procuramos, agora, reatar esses sabores e trazê-los para a cidade que as pessoas os possam provar”, explica este engenheiro civil, que faz dupla no negócio com a esposa.

A ideia começou a ganhar forma há um ano. Apesar de este ser o primeiro estabelecimento que o casal abre ao público, Ricardo, desvenda que este já era um desejo de longa data.

“Esta é uma área que gostámos de trabalhar há muito tempo. A autentecidade das pessoas, a  simpatia e as relações que se proporcianam” são características que os atraíam para a área da restauração.

A Dama Pé de Cabra ainda não foi inaugurada – a data da inauguração oficial deverá ser revelada na próxima semana –, mas já abriu e vai tentar ter “um bocadinho de cada região portuguesa”.

No entanto, ressalva Ricardo, para já, o casal vai dar “prioridade aos locais mais próximos”, por uma questão de facilidade logística.

À venda na Dama Pé de Cabra, há vinhos regionais, com preços que variam entre os 4 e os 28 euros. Mas, caso pretenda fazer uma degustação, pode pedir um copo pequeno, por 60 cêntimos, ou um copo de pé, a 1,3o euros. A ideia de Ricardo e Fernanda é, em paralelo com a venda de produtos, receber eventos, levando à mercearia produtores de vinho e de outros produtos, projecta o gerente.

A ‘Dama’ também vende vários tipos de chás, entre os 3,5 e os 4,5 euros.

Para acompanhar a bebida, são preparadas sandes de presunto, de Gouveia, paiola, porco ou salpicão, servem-se tábuas de queijos, há ainda enchidos, alheira grelhada e linguiça. Os preços destes petiscos variam entre os 2 e os 2,5 euros.

Para decorar o espaço, o casal recuperou alguns objectos, que, colocados neste contexto, dão um carácter e alma à casa. “Todas a as molduras, rodapés e candeeiros antigos são recuperados e reciclados e, depois, mais tarde, poderão ser usados numa secção de artesanato”, equaciona Ricardo Santos.

Junto à casa de banho é possível ver também uma pia antiga, numa pedra escura, que agora tem nova vida enquanto lava-mãos. E o balcão principal foi revestido com azulejos antigos, coloridos e que outrora revestiram uma qualquer fachada da cidade.

O projecto teve um ‘parto’ difícil, conta, no entanto, o também construtor, que admitiu à Praça que só com a colaboração de várias pessoas é que a ‘Dama’ saiu do papel. “A concepção foi da Best Project, em colaboração com o gabinete Floret Arquitectura. O licenciamento foi feito pela arquitecta Joana Fernandes, a imagem foi criada pela designer Margarida Dinis e, neste momento, o espaço está a ser dinamizado pela Margarida Cruz, que é uma estudande de pintura – de 15 em 15 dias, vamos mudar a montra do interior da loja”, partilhou Ricardo Santos.

A Dama Pé de Cabra abre de segunda a quinta-feira, das 9h às 19h, e à sexta e ao sábado das 9h às 21h.