4 Mai 2012, 19:52

Texto de Alexandra D. Marques

Comes & Bebes

A Churchill’s sabe que um bom vinho pede uma boa comida

,

Churchill’s tem um novo centro de visitas para aproximar os clientes à empresa, promovendo provas de vinhos e cursos de cozinha. Vítor Sobral fez show cooking.

Vítor Sobral

Vítor Sobral em acção. Foto: Alexandra D. Marques

O novo centro de visitas da Churchill’s recebeu esta sexta-feira um show cooking do chefe de cozinha Vítor Sobral. A filosofia do evento foi simples: um bom vinho merece uma boa comida.

Os vinhos da Churchill’s ditaram a gastronomia: para o Dry White Porto serviram-se entradas de robalo; para o Churchill’s branco de 2011 serviu-se camarão com puré e bolacha ralada; com o Quinta da Gricha (2005 e 2009) comeu-se bacalhau com arroz de favas; e a sobremesa de pudim e musse de maracujá acompanhou o Vinho do Porto 20 anos.

O almoço realizou-se num clima intimista e todos os pratos foram cozinhados pelo chefe aos olhos dos presentes. A cada vinho servido, John Graham, o fundador da empresa e enólogo, apresentou uma breve descrição aos convidados.

A Churchill’s é uma empresa de vinhos sediada em Vila Nova de Gaia especializada em vinho do Porto. A marca tem cerca de 30 anos e foi criada por John Graham e os seus irmãos. Desde então, o vinho do Porto Churchill’s tem sido um caso de especial sucesso.

Vítor Sobral é um dos “embaixadores” do vinho do Porto no estrangeiro. Para além de chefe é também empresário e gere um restaurante de sucesso em São Paulo, onde comercializa o vinho do Porto da Churchill’s.

“Gosto muito do Vítor Sobral, somos amigos há vários anos”, afirma Maria Emília Campos, directora da Churchill’s. “Representa bastante o que é a gastronomia portuguesa”.

Cursos de cozinha todos os meses

O novo centro de visitas, na Rua da Fonte Nova, em Gaia, surge para aproximar os clientes à empresa, promovendo provas de vinhos mediante marcação. Neste espaço também se podem realizar jantares de grupo até 40 pessoas, reuniões, workshops, entre outros.

“Representa a nossa abertura de portas às pessoas, nós estivemos um bocadinho fechados”, afirma Maria Emília Campos.

O objectivo é que se realizem cursos de cozinha pelo menos uma vez por mês. Vítor Sobral promete marcar presença, de 3 em 3 meses.

O chefe afirma que a “fase da vaidade já passou” e que, mais do que provar que é um grande cozinheiro, “a ideia é fazer coisas que se podem repetir em casa”.