Image de Reabrimos em Setembro

Foto: Arq/Miguel Oliveira

15 Set 2015, 14:10

Texto de

Opinião

Reabrimos em Setembro

,

Agosto, acredito eu, será agora o mês de maior agitação turística e, no entanto, continua a ser o mês eleito para muitos estabelecimentos encerrarem para férias. O mesmo acontece aos domingos. Incompreensivelmente.

Imagem de perfil de Porto Aberto

Envie-nos a sua opinião para geral@porto24.pt. Diga-nos o que pensa sobre os temas essenciais para a vida da cidade e da região.

Acredito que, em momentos das nossas vidas, todos precisamos que nos alertem para aquilo que está bem à frente dos nossos olhos e que, por distracção ou outros factores, teimamos em não querer ver ou aceitar. Acredito também que noutras situações serão outras as motivações.

Daquelas que nos dão jeito e, diria mesmo, até algo egoístas que fazem com que mostremos dificuldades de adaptação e actualização. Aqui pelo Porto noto isso nos horários e férias dos estabelecimentos comerciais da baixa. Ora, se há uns anos, como de resto todos temos memória, a cidade ficava deserta aos domingos e também no mês de Agosto, por estes tempos, qualquer um facilmente percebe que tudo mudou.

A realidade é bem diferente de tempos idos. Agosto, acredito eu, será agora o mês de maior agitação turística e, no entanto, continua a ser o mês eleito para muitos estabelecimentos encerrarem para férias. O mesmo acontece aos domingos, que continuam – incompreensivelmente – a ser dia de portas fechadas para o descanso do pessoal. Ainda no domingo passado pude comprovar essa realidade. Observei a baixa da cidade a fervilhar com milhares de turistas. Claro que compreendo que em casos específicos como os dos pequenos restaurantes que trabalham sobretudo com os locais, servindo os pratos do dia, tal mudança não se justifique, mas parece-me que no caso das confeitarias e cafés seja urgente provocar essa alteração.

A título de exemplo, julgo ser no mínimo estranho que aquele que é considerado o café mais emblemático do Porto continue a encerrar aos domingos. São demasiados os casos em que os turistas batem com o nariz na porta. Andam por ali feitos baratas-tontas a esbarrar em placas de “Encerrado”. Custa-me acreditar que associações comerciais, câmara e outras entidades com responsabilidades nesta matéria não tenham ainda parado para reflectir e potenciar alterações face a esta (boa) nova realidade portuense.

MO_Isidro-Lisboa-1Isidro Lisboa, locutor na Rádio Nova, escreveu este artigo a convite do P24. O autor escreve segundo o antigo acordo ortográfico.

Opinião

No Porto24, contamos as histórias que fazem o dia-a-dia do Grande Porto. A nossa missão é ser também um espaço de reflexão e debate. A Opinião é uma plataforma animada por um conjunto de intervenientes e observadores atentos da cidade, que escrevem com regularidade.