Image de Portistas riscados do mapa da seleção

Foto: Miguel Oliveira

15 Mar 2018, 16:40

Texto de

Opinião

Portistas riscados do mapa da seleção

Começamos por perguntar: ser campeão europeu justifica tudo? Claro que não, mas isso parece o que está a acontecer com o selecionador Fernando Santos.

Imagem de perfil de Manuel Luís Mendes

Manuel Luís Mendes é natural do Porto e licenciado em História. Foi professor no ensino oficial de Português e de História. E ainda docente de Comunicação no ISEF (hoje Faculdade do Desporto) e na Escola Superior de Jornalismo. Foi ainda jornalista no Jornal de Notícias, tendo chefiado a secção de Desporto. Trabalhou na área da Educação e Ensino.

De um momento para o outro este técnico passou a ser infalível! Isto naturalmente para as vozes do dono que são muitas… 

Só que, em democracia, é possível haver contestação e opiniões contrárias.É o caso da nossa. Somos absolutamente contra esta convocatória que antecede a nossa ida ao Mundial da Rússia. 

Para mim e para muitos outros esta é uma seleção de “alguns de nós” e não de “todos nós” como foi sempre.  E porquê? 

Realmente, dos três grandes – os tais que são os principais  fornecedores da seleção – só um não merece a honra de ter representantes no clube do povo português : o FC Porto!

Porque a equipa só conta com estrangeiros o estafado argumento do costume ?

Falso!

Na verdade,  há, por exemplo (entre outros) um Ricardo, a ser uma pedra fulcral no líder do campeonato, uma jovem revelação , Dalot (em grande ascensão!) ou um Sérgio Oliveira (a atravessar o seu melhor momento!) – mas nenhum foi chamado!

Foram outros, oriundos da capital, como o aparecido (subitamente) Rúben Dias que jogou 2.061 minutos, ou seja, dividindo pelos 90 de um jogo, dá cerca de 22! 

Contradições e incoerências apenas? Falta de critério? Clubite aguda? Influência dos media lisboetas?

Sinceramente, não acreditamos. Fernando Santos, o engenheiro do penta, não nos habituou a ser influenciável. Bem pelo contrário, mostrou ter uma personalidade imune a interesses alheios aos da seleção. Isto embora se saiba que as más companhias não abonam em favor das boas decisões… 

Por tudo isto, acreditamos que o nosso selecionador ainda possa ir a tempo de emendar a mão e escolher para o Mundial somente os melhores, independentemente dos nomes e dos clubes.

Foi assim que Portugal foi campeão europeu.E é assim que os portugueses – de norte a sul –  olham para ele. Deste modo, não jogue para o lixo todo o prestígio que granjeou – precisamente de norte a sul… 
Caso contrário, sairemos da Rússia como entramos : de mãos e bolsos vazios!

Não se deixe encantar pelos cantos de sereia (numa altura em que os animalescos pululam por aí…) – e é o nosso conselho.

Como diz o povo: mais vale tarde que nunca!

Opinião

No Porto24, contamos as histórias que fazem o dia-a-dia do Grande Porto. A nossa missão é ser também um espaço de reflexão e debate. A Opinião é uma plataforma animada por um conjunto de intervenientes e observadores atentos da cidade, que escrevem com regularidade.