19 Jun 2011, 16:27

Texto de

Opinião

O Porto está a mudar

Numa altura de crise e pessimismo, há motivos para continuar a trabalhar e acreditar que o Porto pode contribuir para criar condições favoráveis ao desenvolvimento económico do país.

Cada vez vemos mais turistas nas nossas ruas. Nestes últimos anos, o turismo tem crescido acima das expectativas e parece não dar sinais de abrandamento. No primeiro trimestre de 2011, o número de visitantes aumentou cerca de 17% (numa suposta época baixa) e foram criados 36 novos voos semanais. Estamos a bater recordes de visitas ano após ano. Muito deste fenómeno deve-se às operadoras low cost a trabalhar no aeroporto Sá Carneiro. A Ryan Air declarou que o Porto é o destino turístico mais requisitado em termos de viagens curtas, entre 2 a 3 dias.

E que tipo de turistas visitam a nossas cidade? Recordo-me dos tempos em que os turistas típicos do Porto eram pessoas mais velhas, geralmente do norte da Europa, que visitavam as caves do Vinho do Porto e as igrejas da cidade. Hoje, temos várias faixas etárias e segmentos económico-culturais.

Temos antigos alunos de Erasmus a matar saudades dos tempos de estudantes e a visitar velhos amigos; viajantes de “mochila às costas”; pessoas que ouviram falar do Porto, das suas gentes e qualidade de vida; malta que procura a animação nocturna da baixa; e turismo sénior, que começa a explorar o circuito do Douro vinhateiro, entre outros.

De destacar são os visitantes que procuram na cidade as suas pérolas arquitectónicas, ou não tivéssemos já 2 arquitectos do Porto vencedores do prémio de maior prestígio internacional (o Pritzker), Siza Vieira e Souto Moura. A Casa da Música e o Museu de Serralves são elementos de atracção promovidos internacionalmente.

Estamos perante uma oportunidade única de promover a nossa cidade e região e, consequentemente, a sua economia. O Porto dispõe já de um série de equipamentos hoteleiros com boa qualidade, e com oferta variada, em termos de localização e de preços. Existem bons restaurantes que contribuem para uma imagem de cidade gastronómica, praias com bandeira azul e um centro histórico com centenas de anos de história, que, apesar de degradado, não deixa de exercer um fascínio especial sobre os visitantes.

As indústrias criativas também procuram exportar os seus talentos – lembre-se o Portugal Criativo. Outro caso extremamente interessante é o do movimento de promoção do Porto e do Norte Porto Forward, criado pela consultora Patrícia Soares da Costa. Pretende unificar esforços para promover a região, de uma forma aberta a qualquer pessoa, marca ou empresa. Neste momento, são responsáveis pelo movimento viral cibernético que pretende trazer o maior número de visitantes de sempre à mítica festa de S. João.

Também a Câmara do Porto promove a cidade através do Circuito da Boavista e de outro tipo de eventos, desde concertos a exposições.

Numa altura de crise e pessimismo, estes dados dão-nos motivos para continuar a trabalhar e acreditar que o Porto pode contribuir positivamente para criar condições favoráveis ao desenvolvimento económico do país.

  1. Claro que sim, mas é graças a profissionais activos e empenhados que tudo isto se desenvolve! não basta anunciar e promover! o que muito ajuda! Mas se no terreno não temos gente devidamente qualificada para trabalhar, bem podemos dizer adeus a tudo isto em 3 tempos! por esse motivo devemos apostar na QUALIDADE dos serviços, da promoção e na requalificação constante do património, que felizmente é o que nos vale! Por um Turismo de Qualidade e Sustentavél!

Opinião

No Porto24, contamos as histórias que fazem o dia-a-dia do Grande Porto. A nossa missão é ser também um espaço de reflexão e debate. A Opinião é uma plataforma animada por um conjunto de intervenientes e observadores atentos da cidade, que escrevem com regularidade.