22 Nov 2012, 11:33

Texto de

Opinião

O doméstico

Se fosse mulher e escrevesse poesia, preferiria que me chamassem poetisa em vez de poeta. Ser poetisa é sem dúvida algo de enigmático e próprio, tudo o que o termo poeta faz esbater. Mas por que raio de motivo ser poeta é encarado como forma de afirmação face ao sexo oposto?

Se fosse mulher e escrevesse poesia, preferiria sem sombra de dúvida que me chamassem poetisa em vez de poeta. Há um certo charme na palavra poetisa. Ser poetisa é sem dúvida algo de enigmático e próprio, tudo o que o termo poeta faz esbater. Mas por que raio de motivo ser poeta – sendo mulher – é encarado como forma de afirmação face ao sexo oposto?

O caso de embaixador é ilustrativo desta confusão de papéis. Diz-se embaixadora uma mulher empossada das funções de embaixador. Já embaixatriz fica reservada para a esposa do embaixador. Duas palavras para 2 funções femininas… ao passo que o esposo da embaixadora fica remetido ao mais literal anonimato: não tem nome que se chame. Se for embaixador estará a intitular-se uma coisa que não é, se for embaixatriz… bem, esse nome é feminino (cheira aqui a uma ligeira desigualdade de géneros).

A discussão poderia complexificar-se… Por exemplo: imperatriz, um imperador no exercício das suas funções, enquanto que “imperadora” não existe. E “presidentas” também existirão?

A língua vai sendo reflexo da mudança dos papéis tradicionais de cada género.

As 2 grandes guerras mundiais foram marcos importantes na emancipação feminina. O esforço de guerra dos países beligerantes levou a que muitas mulheres assumissem funções que lhes eram vedadas em fábricas, estabelecimentos comerciais, entre muitos outros lugares.

Um facto premonitório (?) na crise em que vivemos é a taxa de desemprego por sexos no nosso país. Pela primeira vez o desemprego é maior entre eles do que entre elas. Será uma tendência duradoura? Em tempos de depressão económica os salários mais elevados são alvos a abater. Estaremos perante uma nova mudança do equilíbrio entre géneros, desta vez com preponderância do feminino? Também aqui as novas palavras poderão ajudar: “qual a tua profissão?”; “doméstico”.

Rui Tinoco escreve segundo o novo acordo ortográfico

Opinião

No Porto24, contamos as histórias que fazem o dia-a-dia do Grande Porto. A nossa missão é ser também um espaço de reflexão e debate. A Opinião é uma plataforma animada por um conjunto de intervenientes e observadores atentos da cidade, que escrevem com regularidade.