28 Jan 2014, 22:42

Texto de

Opinião

Falcao e o orgulho à moda do Porto

LETRA & MÚSICA #002. E se Falcao pisar a relva do Mundial brasileiro, vou sentir que a cidade do Porto venceu um muito particular “campeonato do mundo”.

Diz-se que pequenos orgulhos, bem medidos, nunca fizeram mal a ninguém. E se não se diz, que se passe a dizer, porque o lado mensurável de sensações conotadas com “desmedidas” pessoais é algo que enobrece e distingue um qualquer carácter.

Posto isto – uma espécie de salvaguarda para quaisquer interpretações extremadas no final desta prosa –, queria só dizer que me enche de orgulho o facto de o futebolista colombiano Radamel Falcao ter escolhido a cidade do Porto, um cirurgião do Porto e o FC Porto para se tratar e recuperar de uma lesão que o coloca, para já, do lado de fora do Mundial de futebol no Brasil.

Passo a justificar-me, como se uma alma feita de devaneios precisasse disso: num mundo, num país e numa cidade onde nos confrontamos com miserabilismos vários e depressões mais coletivas que o normal, é natural que as pessoas se agarrem ao lado positivo de qualquer acção ou actividade.

Foi exactamente por isso que não me espantou, nem incomodou, que nessa mesma semana, a Câmara Municipal do Porto tenha apoiado, sem complexos ou falsos pruridos políticos, numa campanha encetada por uma entidade comercial, embora devidamente reconhecida e auditada pelo público e pelo privado: a eleição do melhor destino de 2014, à escala mundial.

Não me espantou porque é isso que espero de um político independente. Quero que Rui Moreira salte para fora da caixa – é tão giro usar a expressão da moda “out of the box” em Português – e que faça diferente do que se tem feito. Só porque gosto de gente que seja gente: de gente que não seja marioneta dos seus próprios objetivos e/ou dos seus apaniguados.

Voltemos ao Radamel Falcao. Por todo o mundo ecoou o nome da nossa cidade, à custa da lesão daquele que é considerado um dos melhores avançados do Mundo. Com golos e qualidade no espectáculo que é o futebol, “el Tigre” já havia emprestado a sua competência ao clube, à cidade e até ao nosso país. Mas não veio, agora, cobrar nada. Veio porque confia. Veio cá porque acredita aqui vai encontrar o melhor para si num dos mais difíceis momentos da sua carreira. Escolheu acolher-se na cidade do Porto e entregar-se a um cirurgião com carreira reconhecida mundialmente. Aqui, Radamel Falcao sabe que poderá encontrar, pela sua própria experiência e noção das realidades, um conjunto de soluções para tentar um “milagre”.

E se Falcao pisar a relva do Mundial brasileiro com a camisola da selecção da Colômbia, de alguma forma vou sentir que a cidade do Porto venceu um muito particular “campeonato do mundo”.

Sabem porquê? Porque um dos melhores do Mundo escolheu algo do Porto para manter esse estatuto. Pequenas lógicas que me fazem peitaça.

Para inspiração sul-americana:
Astor Piazzolla – Primavera Porteña

 

Opinião

No Porto24, contamos as histórias que fazem o dia-a-dia do Grande Porto. A nossa missão é ser também um espaço de reflexão e debate. A Opinião é uma plataforma animada por um conjunto de intervenientes e observadores atentos da cidade, que escrevem com regularidade.