6 Dez 2011, 19:25

Texto de

Opinião

Este é o momento…

, ,

As iniciativas em marcha para a reabilitação urbana e para agilizar os processos de despejo são um bom indicador de que este é o momento certo para investir.

Detalhe de uma casa do centro histórico. Foto: SWark

Detalhe de uma casa do centro histórico. Foto: SWark

Classificado como Património Mundial desde 1996, o centro histórico do Porto caracteriza-se pela sua incomensurável riqueza monumental e paisagística e constitui uma obra-prima do génio criativo da humanidade. Urge, porém, neste momento, desenvolvermos iniciativas no sentido de lhe darmos uma nova vida.

Vivemos neste momento tempos difíceis, é certo. E desenganem-se aqueles que acreditam que o mundo está a mudar. Pura e simplesmente, o mundo mudou. E por isso, agora nada será como dantes.

Mas sempre foi em momentos de crise profunda que os portugueses se agigantaram e mostraram aquilo de que são capazes. É pois neste tempo de crise que, mais uma vez, os portuenses precisam de se unir e vão fazê-lo, mostrando dessa forma o quanto valem, investindo na sua cidade e em particular no seu centro histórico.

A crise económico-financeira que como uma bomba rebentou em Setembro de 2008 acabou com o paradigma do dinheiro fácil, dos yelds de 2 dígitos retirados das mais-valias dos mercados de capitais e dos produtos financeiros pornograficamente virtuais, que se veio a verificar terem como activos uma mão cheia de nada e outra de coisa nenhuma.

O descrédito no sistema e nas instituições financeiras e nos produtos de capitalização e rendimento, tanto quanto os índices de rentabilidade negativos obtidos nos mercados de capitais, têm como corolário que os investidores procurem refúgios e portos seguros para os seus capitais.

Historicamente, momentos de crise financeira acentuados conduzem os investidores para sectores que se caracterizam por uma maior segurança, uma menor erosão e uma quase inexistente volatilidade. E esse é o caso do imobiliário. É que a terra é tão antiga que já não se fabrica mais, não estica nem encolhe e invariavelmente não sai do sítio. E sendo assim, neste momento de crise financeira acentuada, investir no imobiliário é pois um bom refúgio para quem pretende investir os seus capitais, na óptica de rendimentos de longo prazo.

Porquê?

Porque se adquire e reabilita a bom preço por metro quadrado, porque existem incentivos fiscais destinados à reabilitação urbana, porque os processos de licenciamento em quarteirões com Documento Estratégico da Porto Vivo são céleres, porque o estrangulamento do financiamento para a aquisição de habitação própria está a fazer disparar a procura no mercado de arrendamento e fundamentalmente porque, o rendimento obtido pode proporcionar uma taxa de rentabilidade interessante.

As iniciativas legislativas que estão em marcha quer para a reabilitação urbana, quer também no sentido de agilizar os processos de despejo para arrendatários relapsos, são um bom indicador de que este é o momento certo para investir. E ao investir no centro histórico do Porto, está a investir-se no charme, na História e na revitalização de um tecido urbano e social, que invariavelmente conduz à valorização dos activos.

Porém, convém não nos esquecermos do facto de o centro histórico ser muito antigo e como tal ter muitas histórias. Por isso investir sim, sem medo… mas rodeando-nos de profissionais que nos saibam aconselhar na óptica do melhor retorno possível para os capitais investidos.

Opinião

No Porto24, contamos as histórias que fazem o dia-a-dia do Grande Porto. A nossa missão é ser também um espaço de reflexão e debate. A Opinião é uma plataforma animada por um conjunto de intervenientes e observadores atentos da cidade, que escrevem com regularidade.