21 Jun 2011, 21:20

Texto de

Opinião

A política é optar

,

O valor económico gerado pela cultura segue o mesmo raciocínio preconizado pela autarquia no Circuito da Boavista. É uma opção, mas então que esta seja clara, sem desculpas que gravitem à volta dos subsídios, da dependência e dos públicos de elite.

Circuito da Boavista

Foto: P24

O vereador Vladimiro Feliz cansou-se de enfatizar a importância do “retorno global do investimento realizado” pela Câmara do Porto nas corridas da Boavista.

A autarquia garante ter contribuído com apenas 800 mil euros e, com essa quantia, acredita que vai gerar um retorno económico da ordem dos 30 milhões de euros.

O raciocínio é simples: um evento pode criar uma dinâmica económica cujo valor jamais pode ser avaliado apenas pelo dinheiro arrecadado na bilheteira. Tal raciocínio é simples e lúcido – pena que só seja aplicado aos automóveis antigos.

Rui Rio, o autarca portuense, é o primeiro a advogar que os custos de um evento não podem ser encarados como um “prejuízo”. Para o economista, esses mesmos custos são, na verdade, uma “opção de investimento”.

É claro que é uma opção de investimento, neste caso nas corridas de automóveis. Toda a opção pressupõe um vencedor e um preterido. E todos sabemos qual é a área sobre a qual recaiu, nos últimos anos, o peso da guilhotina.

É uma opção política preferir os automóveis antigos a, por exemplo, uma peça de Trisha Brown (nunca é demais lembrar que o Rivoli, que foi um palco privilegiado da dança contemporânea, acolhe esta terça-feira o espectáculo Vip Manicure).

É uma opção, mas então que esta seja clara, sem desculpas que gravitem à volta dos subsídios, da dependência e dos públicos de elite. Porque o valor económico gerado pela indústria cultural e criativa segue exactamente o mesmo raciocínio preconizado pela autarquia no Circuito da Boavista.

  1. Diana Raquel Lourenço via Facebook says:

    Opções medíocres e que além de tudo não agradam à maior parte dos habitantes locais. É uma corrida para alguns turistas diria… e para os passeantes de domingo que não resistem a dar uma espreitadela. Quem mora perto não recebeu nenhum aviso com alternativas de circulação e por isso na passada sexta-feira chegaram atrasadas ao trabalho! No fds vi ainda o exercício condicionado porque as corridas também compram direitos sobre a ciclovia… td mto mau!

Opinião

No Porto24, contamos as histórias que fazem o dia-a-dia do Grande Porto. A nossa missão é ser também um espaço de reflexão e debate. A Opinião é uma plataforma animada por um conjunto de intervenientes e observadores atentos da cidade, que escrevem com regularidade.