Outros Artigos de Manuel Vitorino

6 Jun 2017, 21:07

“Foi um concerto de emoções. Não foi um concerto para celebrar Zeca Afonso, antes para trazer o Zeca no coração”, recordou Patxi Andión, momentos após ter terminado o concerto “histórico” na superlotada sala Suggia da Casa da Música, quase três horas de canções, cumplicidades, afectividades, partilha de sentimentos, com amigos de ontem e de
sempre, Carlos Alberto Moniz, José Barros, João Afonso, sobrinho de José Afonso, mais o cantautor Iñigo Andión, 25 anos, filho de Patxi quase a completar 70, mas sempre com nostalgias do futuro. Depois de “Porvenir” e “Quatro Dias de Mayo” (2014) preparem-se: o compositor já trabalha no projecto destinado a celebrar  50 anos de música e canções.

Patxi Andión voltou com  Zeca Afonso no coração

2 Dez 2016, 10:47

“Só” não é apenas título do livro “mais triste que há em Portugal” no dizer do poeta António Nobre e um dos marcos da poesia do séc. XIX.

Jorge Palma regressou com “Só”, o piano e a poesia

11 Nov 2016, 13:03

A reputada violinista russa Alina Ibragimova que, segundo o jornal britânico ‘Guardian’, tem a “capacidade de colapsar qualquer sentido de distância entre intérprete e ouvinte”, será a estrela da constelação musical programada para a abertura do ciclo ‘À Volta do Barroco’, cujo início está marcado para esta sexta-feira, na Casa da Música (CdM).

Violinista prodígio russa no ciclo ‘À Volta do Barroco’

13 Ago 2016, 12:40

Emoção, muita emoção e algumas lágrimas marcaram o último dia (sexta-feira, 12) da Adega de S. Martinho, à Rua de D. João IV, no Porto, para muitos a segunda casa, local de encontro de amigos, cumplicidades à mesa feita entre dois dedos de conversa e copos de vinho.

O último adeus à Adega S. Martinho

27 Jun 2016, 11:53

Por vezes, a casa só tem brilho com o fio de luz que vem das alturas. Outras, por um clarão em diversas formas e texturas. Na cidade fazem parte da paisagem e durante muito tempo foram elemento essencial no exercício da arquitectura.

A luz que vem do céu

7 Jun 2016, 10:29

Foram 24 horas vividas ao correr do tempo, arte (muita arte), música, performance, teatro, dança contemporânea, cinema, leituras para novos e menos novos, uma catadupa de acontecimentos para todas as idades, gostos, estéticas.

A arte foi uma festa em Serralves

31 Mai 2016, 10:53

Comprei o primeiro número da Mundo da Canção ainda muito jovem, Dezembro de 1969, capa com foto de Francisco Fanhais, padre e cantor de intervenção política, hoje presidente da Associação José Afonso.

MC, a minha Bíblia musical

30 Mai 2016, 13:59

Avelino Tavares, fundador da Mundo da Canção conviveu com os grandes nomes da “chanson” e da música francesa. E orgulha-se da sua revista de estimação ter divulgado grandes artistas do século XX, Serrat, Patxi Andion, Amancio Prada, José Afonso, Adriano Correia de Oliveira, Vitorino, Sérgio Godinho, Luís Cília, uma paleta infindável de intérpretes e músicos do Mundo, muitos deles figuras lendárias da pop e do rock, Lou Reed, pois claro, a par de Carol King, Dylan, Cohen, Pete Seeger, Woody Guthrie, Baez, Jimi Hendrix, Cat Stevens, Judy Collins…Naqueles tempos, anos 70 só a Mundo da Canção publicava textos, entrevistas e críticas verdadeiramente importantes sobre a vida e obra do panorama musical. “Desde a primeira hora tive colaboradores excepcionais, como a Maria Teresa Horta, José Viale Moutinho, Jorge Cordeiro, Jorge Lima Barreto. Até o cantor do Uruguai Daniel Viglietti entrevistou Chico Buarque. Todos eles escreveram sempre por amor e prazer. Foram tempos heróicos”, diz Avelino Tavares, editor, produtor, responsável por centenas de eventos e concertos musicais levados a efeito em diferentes pontos do país. Há dias, a Sociedade Portuguesa de Autores, atribuiu-lhe um prémio como forma de reconhecimento pelo trabalho efectuado na “promoção dos valores culturais e da cidadania em Portugal”. O Porto24 foi saber como respira o inspirador do Intercéltico do Porto. “Ainda não desisti de retomar o projecto. Ainda não perdi a capacidade de sonhar”.

Avelino Tavares: “Gostava de voltar a organizar o Intercéltico no Porto”

27 Mai 2016, 15:20

O que sabemos nós desse país governado por Putin? Pouco, muito pouco, não só em termos políticos e culturais, mas também na sua grandeza, esplendor, arte nas suas variadas expressões estéticas, do cinema à música, passando pela pintura até ao teatro lírico e operático, sem esquecer o seu passado histórico e civilizacional, a Revolução de 1917, os tempos da antiga União Soviética, as purgas do Estalinismo, mais a Perestoika de Gorbachev.

Os russos estão no Porto

16 Mai 2016, 17:18

Chegam aos pares à Biblioteca e são pontuais ao filme. Carregam o fardo da prisão, média de condenações 15 anos e cumprimento efectivo das penas superior a 10 anos. Sem saídas precárias.

Reclusos deram asas ao sonho com filmes atrás das grades

7 Mar 2016, 11:57

Antes de partir para Turim, um amigo meu exclamou: “Turim não tem nada de especial para ver. Mais do que dois dias é uma eternidade. Nem rede de metro existe!”. Não levei muito à letra a afirmação. Em vez de dois dias, estive um mês a cirandar pela cidade e a descobrir a bela região de Piamonte. No final, senti-me “molto felice” pela experiência.

Turim, cidade com “glamour” e encanto

28 Fev 2016, 16:06

Em 2012 vi pela primeira vez no Porto o documentário “3 horas para Amar”, de Patrícia Nogueira, exibido no decorrer da 9ª edição de Imagens do Real Imaginado/Ciclo de Fotografia e Cinema Documental promovido pelo departamento de Artes e Imagem da ESMAE.

“3 horas para Amar”, de Patrícia Nogueira, já está disponível em Lugar do Real
Página 1 de 41234